Connect with us

Dia das Mães

Mães com filhos no exterior falam sobre a saudade

O orgulho supera a saudade, e o celular encurta as distâncias

Publicado

em

O Dia das mães será marcado pela saudade para algumas mães que estão com seus filhos distantes. Apesar disso, a tecnologia e o amor os mantém mais próximos diariamente.

Giovanna de Fatima Barbosa, que mora em Guaraqueçaba, vai passar o dia das mães longe dos dois filhos. Ela tem uma vida atribulada, exercendo atividades como de professora, massoterapeuta e assistente social. E todos os dias reserva um momento para se conectar com os filhos. 

“Tenho dois filhos. O Fernando Zarduski que é casado e mora com sua esposa Jessica em Paranaguá,  vejo ele com mais frequência. A Lasnieli Zarduski atualmente esta fazendo um intercâmbio na California nos EUA. Viajei com ela até São Paulo e chorei junto quando conseguiu o visto para fazer o intercâmbio. Apoiei desde que decidiu morar no exterior, pois seria impossível prender aquela que criei para ser livre e conquistar seus sonhos”, conta a mãe.

Giovanna com os filhos Lasnieli e Luiz Fernando, entre o amor e a saudade

 Giovanna destaca ainda que a distância não e fácil. “Penso neles todos os dias, e tem vezes que a saudade é demais. Atualmente me sinto aflita por causa de todos os acontecimentos com essa pandemia. Penso na minha filha passando por tudo isso em outro país sozinha, então é muito importante para mim saber todo dia como ela esta. Mesmo com toda a distância converso com meus filhos todo dia por whatsApp e chamada de vídeo. Temos um grupo onde compartilhamos todos os acontecimento do dia, e assim ficamos mais próximos. Lasnieli manda fotos de todos os lugares que ela ja conheceu e eu a incentivo a conhecer sempre mais, pois sei que esse sempre foi seu objetivo. Em datas importantes como agora no dia das mães será muito difícil, nunca passei um dia das mães longe dos meus filhos, e esse ano a Lasnieli não vai estar presente fisicamente, mas vamos nos conectar por chamada de vídeo, e ela vai participar de todo o almoço de domingo. Mesmo não tendo a presença física eles sempre estão presente no meu coração”, ressalta.

“Hoje eles são pessoas adultas seguindo seus caminhos, e eu tenho muito orgulho dos meus filhos e todo dia peço para Deus abençoar seus caminhos e que eles sejam felizes, pois criei meus filhos sozinha para conquistar o mundo”.

Há 25 anos na Itália

A  professora Maria Luiza Atkinson mora em Paranaguá e tem dois filhos. A Charlote que mora em Curitiba, e o Charles que mora na Itália há 25 anos.

Maria Luiza com os filhos Charles e Chalote, durante o mais recente encontro.

Maria Luiza aprendeu a lidar com a saudade ao longo desse tempo. Ela conta que ter um filho morando no exterior é motivo de orgulho, apesar da saudade que não da trégua.

“Ter um filho morando em outro país é muito satisfatório saber das suas vitórias, mas as saudades são imensas. Quando ele vem para cá visitar a família é uma festa só. Mas agora nesse momento em que estamos vivendo a saudade dói, pois estamos na quarentena e mantemos nosso contato pelo WhatsApp. Ele está fora do país há 25 anos. Foi morar no norte da Itália, na cidade de Trento. A vida dele deu certa lá e eu como mãe fico orgulhosa. O Charles tem 3 filhas italianas. Espero revê-los em breve quando nossas vidas voltarem ao normal”, finaliza.