conecte-se conosco

Cultura

Representantes do Projeto Marco Zero realizam atividade em Paranaguá

Ação faz parte das comemorações do Dia do Patrimônio Histórico

Publicado

em

A Prefeitura de Paranaguá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secultur), está realizando, desde o dia 14 de agosto, diversas atividades em comemoração ao Dia do Patrimônio Histórico, celebrado em 17 de agosto. Até sábado, 19, acontecerão atividades técnicas, atrações culturais e visitações guiadas.

Dentro da programação festiva, a prefeitura realizou na tarde de terça-feira, 16, uma atividade no Centro Histórico de Paranaguá, com o destaque para o projeto Marco Zero. A ação consistiu em um roteiro de reflexão sobre o meio ambiente, o centro histórico e a religiosidade.

“O que fizemos hoje não é uma aula, é uma vivência onde todos sabem uma parte do processo, quem mora aqui sabe muito, a gente apenas traz encaixes de nomes, de técnicas, etc”, destacou o curador do projeto, Fábio Chedid Silvestre

Fábio Chedid Silvestre, advogado, produtor cultural e curador do Projeto Marco Zero, explicou sobre o projeto e a atividade roteirizada pelo Centro Histórico. “Fizemos uma vivência, que partiu da região do Rio Itiberê, no Centro Histórico, e seguiu até a Catedral Diocesana. No século XVI, as capelas eram as primeiras coisas a serem construídas para fixar uma autoridade, entre outros. Então, o projeto Marco Zero é justamente isso, onde começa não só Paranaguá, mas o Paraná, e para nós poder contar uma história que parte deste ponto zero. Fizemos um roteiro, mas é importante dizer que o Centro Histórico de Paranaguá é todo tombado, além de unidades individuais, e o que fizemos hoje não é uma aula, é uma vivência onde todos sabem uma parte do processo, quem mora aqui sabe muito, a gente apenas traz encaixes de nomes, de técnicas”, destacou o curador do projeto.

O Projeto Marco Zero, que visa a promover o resgate histórico e o restauro da Catedral Nossa Senhora do Rosário de Paranaguá, foi lançado oficialmente em 2022, no Mega Rocio, dentro das comemorações dos 60 anos da Diocese de Paranaguá.

“Os projetos de restauro de prédios são complexos, mas nós tivemos uma oportunidade muito interessante, pois junto com o Iphan todos puderem perceber que a igreja foi pintada, além de reparos de manutenção terem sido feitos ao redor do prédio para poder gerar uma segurança. Fazia 30 anos que a igreja não era pintada, então foi o próprio Iphan que veio e trouxe esse recurso, a partir de emendas parlamentares, e essa foi a primeira tarefa. E agora, na fase em que estamos, para desenvolver o conjunto de projetos para fazer o restauro tem que entender o prédio e as suas relações, pois não é uma reforma como fazemos em casa, temos que recuperar as coisas a um estado histórico”, contou Fábio Chedid Silvestre.

O roteiro iniciou na Praça Rosa Andrade (Praça do Guincho) e seguiu até a Catedral Diocesana, com os mediadores Letícia Nardi, que é arquiteta e urbanista e coordenadora do Projeto Marco Zero, e Fábio Chedid Silvestre, advogado, produtor cultural e curador do Projeto Marco Zero. A atividade contou com a presença e participação da comunidade em geral, que passou uma tarde de conhecimentos dos prédios históricos na região central da cidade.

“A prefeitura, a secretaria e o Iphan têm seus laços estreitados nesses últimos anos para possibilitar, não só este projeto, mas vários outros de restauros de imóveis do Centro Histórico”, disse a superintendente de Fomento e Incentivo à Cultura de Paranaguá, Aline Pschera

“Estamos promovendo a Semana do Patrimônio Histórico, comemorado no dia 17 de agosto, e essa atividade faz parte da programação. Ela tem uma importância muito grande pelo fato de que a cidade começou aqui. O projeto Marco Zero já traz isso, que a igreja foi o centro da civilização de Paranaguá, por isso que foi denominado Marco Zero. A prefeitura, a secretaria e o Iphan têm seus laços estreitados nesses últimos anos para possibilitar, não só este projeto, mas vários outros de restauros de imóveis do Centro Histórico”, disse a superintendente de Fomento e Incentivo à Cultura de Paranaguá, Aline Pschera.

PROJETO MARCO ZERO

O projeto cultural Marco Zero – Projetos Arquitetônicos e Restauro da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário foi concebido a partir da necessidade apresentada pela Diocese de Paranaguá e pelo responsável pela Igreja Matriz que passaram a vivenciar com mais frequência, ao longo dos últimos anos, episódios adversos devido à ausência de conservação e manutenção da sua estrutura física, colocando fiéis, trabalhadores e visitantes em risco.

O projeto Marco Zero visa restaurar a igreja, considerando diretrizes de preservação do patrimônio

O projeto visa restaurar a igreja, considerando diretrizes de preservação do patrimônio. A igreja é vista como um marco central, representando a história religiosa e territorial da região. Sua restauração será baseada em pesquisas para entender sua história e construção, suprindo lacunas de conhecimento. Os projetos técnicos abrangerão tanto a restauração de elementos antigos quanto a adaptação a normas atuais de segurança e infraestrutura.

Além da restauração física, o projeto valoriza a integração entre conhecimento especializado e envolvimento comunitário. Educação patrimonial, como oficinas, palestras e publicações, também fazem parte do projeto para promover a compreensão da igreja como um elemento histórico, arquitetônico e cultural relevante tanto local quanto nacionalmente.

Publicidade






Em alta