conecte-se conosco

Coronavírus

Vacina da Pfizer protege crianças de cinco a 11 anos contra a Covid-19

Estudo feito pela fabricante comprovou eficácia

Publicado

em

A segunda-feira, 20, trouxe mais um importante passo científico em prol da superação da pandemia. A Pfizer e a BioNTech anunciaram que, após pesquisa realizada, a vacina produzida pelas fabricantes induz uma resposta imune alta contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade. Os laboratórios também reforçaram que irão pedir autorização para uso do imunizante no público pediátrico às autoridades da Europa, Estados Unidos da América (EUA) e outros Países, algo que deverá incluir o Brasil.

Segundo as farmacêuticas, a vacina gerou resposta imune nas crianças de 5 a 11 anos em ensaio clínico das fases 2 e 3, mesmo tipo de resultado positivo e de perfil de segurança obtido em testes feitos no público de 16 a 25 anos. “Desde julho, casos pediátricos de covid-19 aumentaram em cerca de 240% nos Estados Unidos, enfatizando a necessidade de saúde pública de vacinação”, afirma o presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla.

“Os resultados desse teste fornecem uma fundação sólida para buscar autorização de nossa vacina para crianças entre 5 e 11 anos, e planejamos entregar o pedido à FDA (agência reguladora dos EUA) e outros reguladores com urgência”, reforça o presidente.

Aumento de casos pediátricos da Covid-19

Segundo a agência internacional Reuters, que repercutiu o anúncio da Pfizer, autoridades dos EUA acreditam em uma aprovação rápida da vacina para aplicação em crianças, algo que poderá ser feito após três semanas, ou seja, por volta de outubro. “As internações e mortes por covid-19 aumentaram nos Estados Unidos, nos últimos meses, devido à variante Delta do novo coronavírus, altamente contagiosa. Casos pediátricos da doença também estão em alta, particularmente porque crianças com menos de 12 anos não estão sendo vacinadas. Não há, no entanto, nenhuma indicação de que, além de ser mais transmissível, a Delta seja mais perigosa para crianças”, informa, destacando que a vacina poderá prevenir um aumento de casos com chegada do Outono aos Estados Unidos e reabertura das escolas.

Válido ressaltar que o uso da Pfizer em crianças com idade acima de 12 anos já permitido em vários países, bem como em diversos estados e municípios do Brasil. “No ensaio clínico, as crianças entre 5 e 11 anos receberam uma dose de 10 microgramas da vacina, um terço da dose dada a pessoas com mais de 12 anos. As empresas disseram esperar, até o quarto trimestre deste ano, os dados sobre como a vacina atua em crianças entre 2 e 5 anos e em bebês de 6 meses a 2 anos”, finaliza a Reuters.


Com informações da Reuters e EBC

Foto: José Fernando Ogura/AEN