conecte-se conosco

Coronavírus

Trabalhadores portuários começam a ser vacinados em Paranaguá e Antonina

Secretário Estadual de Saúde, Beto Preto, acompanhou a vacinação

Publicado

em

Na sexta-feira, 28, os trabalhadores portuários de Paranaguá e Antonina começaram a ser imunizados com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Junto com outros grupos prioritários, pelo Plano Estadual de Vacinação, a categoria profissional está recebendo as doses que chegaram na 21.ª remessa de imunizantes que o Estado recebeu do Ministério da Saúde. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, as vacinas que vieram nessa remessa são da parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), AstraZeneca e Universidade de Oxford.

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, acompanhou o início da vacinação em Paranaguá, na estrutura que foi montada na Estação Ferroviária e na Avenida Maximiano da Fonseca. “Esses trabalhadores não pararam desde março do ano passado, por isso é fundamental a imunização da comunidade portuária”, comentou o secretário.

Paranaguá recebeu 8.412 doses, além do residual da reserva técnica, somando 9.250 vacinas para vacinar os trabalhadores portuários. No primeiro dia de imunização da classe, foram vacinados os Trabalhadores Portuários Avulsos (TPA’s): Estiva, Arrumadores, Conferentes, Bloco e Vigias, conforme relação encaminhada pelo Órgão Gestar de Mão de Obra (Ogmo).

“Neste momento em que outras cepas começam a circular no mundo todo, os trabalhadores portuários têm que estar vacinados. Acompanhamos a largada da vacinação aqui em Paranaguá, e temos a expectativa de vacinar todos os profissionais desta área até domingo. O objetivo do Estado e a orientação do nosso governador Ratinho Júnior é essa, descentralizar as doses rapidamente e fazer com que as vacinas cheguem até os paranaenses”, afirmou Beto Preto.

“É um dia importante com a chegada dessas doses para proteger nossos trabalhadores portuários, que não pararam desde o início da pandemia. Neste período o Porto ampliou a capacidade de carga e descarga, bateu recordes e ganhou prêmio de melhor porto do Brasil, por isso a nossa gratidão em nome de todo o Paraná para esses trabalhadores que agora estão sendo imunizados”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Júnior. 

A ação, que acontece em Paranaguá, seguirá até domingo, 30, das 8h às 18h. Para se vacinar, o Trabalhador Portuário Avulso (TPA) deverá comparecer à Estação Ferroviária com documento original com foto, CPF, Cartão SUS, crachá e a declaração emitida pelo Ogmo. Os trabalhadores que tiveram recentemente dengue ou Covid-19 devem aguardar 30 dias após os sintomas para receber a vacina.

“Um dia muito satisfatório em que os trabalhadores do Porto de Paranaguá estão sendo imunizados. A Secretaria Municipal de Saúde está preparada para imunizar mais de 9 mil trabalhadores do maior porto da América Latina nos próximos dias, sendo que nesta etapa, os TPAs estão recebendo a primeira dose do imunizante”, destacou o prefeito Marcelo Roque.

“O nosso Porto Dom Pedro II não parou em nenhum instante, e nada mais gratificante, do que oferecer segurança para os trabalhadores que ajudam a bater recordes diários. Agradeço a sensibilidade que o governador Ratinho Júnior está administrando na pandemia, sobretudo, na agilidade do repasse da vacina aos municípios. Nossa luta contra a Covid-19 continua”, relata o prefeito.

O secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, também participou da ação em Paranaguá e falou sobre o trabalho. “O Paraná deve muito aos portuários e, além da vacina, estes profissionais têm o nosso agradecimento pelo trabalho desenvolvido”, disse. 

Equipe do porto, junto ao diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, acompanhou o início da vacinação. Foto: Americo Antonio / Sesa

1.º Vacinado

O primeiro trabalhador portuário a receber a dose da vacina AstraZeneca em Paranaguá foi o Edmilson Viana Porto, de 59 anos, que chegou cedo na Estação Ferroviária.

“Fico muito feliz em poder tomar a vacina e ser imunizado no meio desta pandemia. É um dia muito especial porque teremos um pouco mais de tranquilidade e poderemos continuar trabalhando”, disse o portuário que ficou emocionado após a vacinação.

Até às 14h de sexta-feira, 28, cerca de 550 trabalhadores portuários já tinham sido vacinados em Paranaguá.

Gerson Luiz Correia está há 27 anos no sindicato dos Arrumadores de Paranaguá e também recebeu a primeira dose da vacina. “Graças a Deus agora estou um pouco tranquilo e aliviado com a vacina. É gratificante, já que estamos no dia a dia em contato com pessoas de outros lugares”, relatou.

Valmir dos Santos Farias, de 52 anos, pertencente ao sindicato da Estiva há 30 anos, ficou muito contente em poder ser vacinado neste momento. “Estou muito feliz, pois corremos risco de contaminação no trabalho que fazemos. Um pouco mais aliviado, mas temos que continuar nos cuidando e agora é esperar para a segunda dose”, disse.

Antonina

Para o município de Antonina, a Secretaria de Saúde enviou 490 doses, já somando a reserva técnica para atendimento aos profissionais portuários. A imunização dos profissionais está sendo realizada no estacionamento da Casa de Cultura, ao lado do Teatro Municipal. Caso falte algum profissional, a imunização será retomada na segunda-feira, 31, a partir das 8h.

“Os portuários nunca pararam. Durante toda a pandemia, o trabalhador esteve expondo a si e a sua família para que o Brasil não pare. Todos viram a nova cepa que chegou no Maranhão e nós não queremos que isso aconteça aqui em Antonina. Estou muito feliz em ver esta categoria profissional sendo imunizada”, disse o prefeito de Antonina, José Paulo Vieira Azim.

“É uma vitória para as cidades de Antonina e Paranaguá para realizarmos essa vacinação dos trabalhadores portuários. Parabenizamos toda nossa equipe da Saúde que está trabalhando bastante para imunizar a nossa população”, frisou o secretário municipal de Saúde, Odileno Garcia Toledo.

Documentos

Para garantir o imunizante, será obrigatório apresentar o cartão SUS (registrado na cidade do porto de atuação, no caso, Paranaguá ou Antonina); crachá funcional; CPF; documento oficial de identificação com foto; e declaração de vínculo com empresa, órgão ou entidade de classe. A cópia do crachá (frente e verso) deverá ser entregue junto com a declaração. Esses ficarão retidos pelo funcionário da prefeitura, no ato da vacinação.

A Portos do Paraná disponibilizou os modelos de declaração de vínculo, que deve ser preenchida pela comunidade portuária. O documento está disponível no site www.portosdoparana.com.br e deverá ser confeccionado pela empresa, em papel timbrado e assinado pelo representante da contratante.

Portuários que não sejam moradores de Paranaguá ou Antonina deverão atualizar a carteirinha do SUS para a cidade em que a dose será aplicada. Para isso, o trabalhador deve levar um documento de comprovação do vínculo empregatício no porto.

Grupos

Como responsável pela relação de vacinados, a Portos do Paraná separou em grupos a serem vacinados nos próximos dias. Na sexta-feira, 28, foram vacinados:

GRUPO 1

Trabalhadores portuários autônomos ativos e OGMO; Praticagem; Rebocadores (bordo, costado e faixa); Autoridade Portuária e empresas terceirizadas da Appa, com contrato de prestação continuada; Órgãos fiscalizadores (Antaq, Receita Federal, Mapa).

Próximos grupos a serem vacinados na sequência:

GRUPO 2

Empresas de Amarração e seus prestadores de serviço (trabalhadores de bordo, costado e faixa portuária); Operadores Portuários e seus prestadores de serviço (trabalhadores de bordo, costado e faixa portuária); Agências Marítimas e seus prestadores de serviço (trabalhadores de bordo, costado e faixa portuária); Arrendatários e seus prestadores de serviço (trabalhadores de bordo, costado e faixa portuária).

GRUPO 3

Este grupo será vacinado em data e horários a serem definidos pela Prefeitura de Paranaguá: Empresas de Apoio Portuário (trabalhadores de bordo, costado e faixa portuária) e Motoristas registrados no SINDICAM Paranaguá.

Em alta