Connect with us

Coronavírus

Toque de recolher tem fiscalização diária da Guarda Municipal

Segundo a Prefeitura, o toque de recolher fortalece o isolamento social social e as ações de prevenção ao Coronavírus

Publicado

em

Nove viaturas realizam vistoria nas ruas e comércio

A Prefeitura de Paranaguá, através da Secretaria Municipal de Segurança (Semseg) e Guarda Civil Municipal (GCM), está continuamente fiscalizando o município com relação ao toque de recolher diário, instituído das 22h às 6h, como forma de reforço ao isolamento social e prevenção ao novo Coronavírus. Além disso, as equipes estão atuando na vistoria do comércio local e empresas para apurar se as regras de distanciamento social e higienização estão sendo respeitadas. 

Previsto no decreto N.º 1934/2020, o toque de recolher foi instituído em Paranaguá no dia 31 de março, período em que se confirmou o primeiro caso da Covid-19 no município. Com a medida, das 22h às 6h, moradores estão impedidos de circular nas ruas no período estipulado. Prestadores de serviço na área da saúde, segurança, assistência social, jurídica, delivery de alimentos, trabalhadores portuários que atuarem em turnos e demais que trabalharem em empresas privadas no período noturno podem circular, desde que comprovada a necessidade de deslocamento. O toque de recolher também é válido para supermercados, comércio e farmácias. Unidades de saúde seguem atendendo normalmente.  

Segundo a Semseg, o toque de recolher “é o dispositivo legal por onde nossos agentes de segurança podem exercer suas atividades de forma legal, inclusive na aplicação das sanções previstas”, complementa. “Dispositivos como este fortalecem nossas ações”, reforça. Segundo o decreto, quem desrespeitar a medida em Paranaguá está sujeito à multa no valor de 300 UFM (Unidade Fiscal do Município) e condução coercitiva. 

Sobre número de ações realizadas e de pessoas ou estabelecimentos que foram orientados ou autuados por desrespeitar o toque de recolher, o município afirma que “um balanço quantitativo não retrataria o esforço que o município vem empregando para as fiscalizações, mesmo porque muitas destas abordagens não geram confecção de notificação ou boletim de ocorrência, sendo resolvidos por meio da verbalização, sensibilização e adequação da postura dos patrões e colaboradores”, explica. “Empregamos diuturnamente nove viaturas e diversos Guardas Civis que cumprem sua escala normal de serviço voltados neste momento as ações de enfrentamento ao Coronavírus tanto na área urbana, Ilha do Mel e estendemos esta fiscalização para outras ilhas que pertencem a Paranaguá”, complementa.

Reabertura do comércio

“Empregamos diuturnamente nove viaturas e diversos Guardas Civis que cumprem sua escala normal de serviço voltados neste momento as ações de enfrentamento ao Coronavírus”, afirma a Semseg (Foto: Prefeitura de Paranaguá)

De acordo com a prefeitura, com relação à reabertura escalonada do comércio, a medida é importante, porém a prevenção ao Coronavírus deve ser prioridade.  “A preservação da vida prevalece sobre todas as coisas, por isso, analisamos diariamente a melhor forma de retomada das atividades profissionais alinhando isso sempre com as recomendações de saúde como o distanciamento de dois metros, o atendimento delivery para determinadas atividades, o uso dos aparatos de segurança e higiene, disponibilização do álcool em gel, entre outros amplamente divulgados”, complementa.

“Todas as medidas tomadas até agora estão sendo para evitar preservação da comunidade parnanguara e afastá-los, assim como a todos nós, de um colapso no sistema local de saúde. A ideia é que infecções não aconteçam em um número grande de pessoas ao mesmo tempo para que haja um prazo maior de ação das casas hospitalares de que dispomos aqui em Paranaguá. Por isso, as atitudes individuais e coletivas de prevenção são fundamentais, pois as ações tomadas pelo prefeito e equipe de secretários só funcionarão se houver colaboração das pessoas que aqui residem e daqueles que porventura por aqui estiverem”, finaliza o secretário municipal de Segurança, João Carlos Silva.