conecte-se conosco

Coronavírus

Taxa de transmissão do vírus da Covid-19 está em queda no Paraná

Índice de contágio no Estado está em 1,02

Publicado

em

Foto: Divulgação / Freepik

A recomendação é de manter a precaução e continuar seguindo protocolos de segurança e distanciamento social, juntamente com a vacinação

O mês de fevereiro começou com a taxa de transmissão chegando próximo ao limite indicado pelo sistema Loft.Science, que calcula o Rt médio de todos os Estados e do Brasil, com base em um algoritmo desenvolvido pela empresa. No dia 9 de fevereiro, o índice chegou em 1,02. O pico da pandemia em 2022 foi registrado em 13 de janeiro quando a taxa atingiu 1,97, indicando que a contaminação estava acelerada no Paraná.

“Os casos confirmados da Covid-19 aumentaram, mas muitas pessoas tiveram sintomas mais leves e quem foi infectado pela segunda vez notou a eficácia das doses aplicadas, com uma recuperação mais rápida e quadro mais leve da doença”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Apesar do contágio em alta no mês passado, a curva está decrescendo e projetando uma queda dia após dia no número de casos em todo Estado. A partir de dia 15 de janeiro, até a segunda semana de fevereiro, o índice de contágio segue em queda, próximo a 1.

A última atualização do sistema Loft.Science, em 9 de fevereiro, que calcula o Rt médio de todos os Estados e do Brasil com base em um algoritmo desenvolvido pela empresa, registrou uma taxa de 1,02. “O indicador tem como objetivo estimar o nível de contágio pelo vírus em um território durante a pandemia. A contaminação está acelerada se a taxa está acima de 1, estável se é igual a 1 ou em queda se está menor que 1 – o único caso em que a situação epidêmica demonstra melhora. Quanto mais próximo de zero, menores as chances de contágio”, informou a Sesa.

Com este cenário ainda pandêmico, a recomendação das autoridades de saúde é de manter a precaução e continuar seguindo protocolos de segurança e distanciamento social, sempre que possível, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19. “A eficácia de cada uma dessas vacinas está comprovada. Confiar na ciência, nos novos estudos científicos são fundamentais para combater esse vírus, que modificou nossa rotina e resultou em muita tristeza às famílias”, reforçou o secretário de Estado da Saúde.

Apesar do contágio em alta no mês passado, a curva está decrescendo e projetando uma queda dia após dia no número de casos em todo Estado. (Foto: Divulgação / Loft.Science)

Brasil

Quase todos os estados brasileiros estão com taxa de transmissão acima de 1, quando a situação pandêmica demostra uma aceleração no número de casos diários confirmados. O Brasil está com índice em 0,92. O Rio de Janeiro apresenta índice em 0,81; o estado do Amazonas com taxa de 0,91 e Minas Gerais com 0,97 são os únicos estados em que a taxa de contaminação está abaixo do limite e considerada controlada, de acordo com o sistema Loft.Science.

O Sergipe é o estado com maior taxa de transmissão do País, com 1,53. A Paraíba é segundo estado com 1,41 de taxa de transmissão e o estado de Alagoas aparece em terceiro, também com 1,41 de taxa.