Connect with us

Coronavírus

Presidente da Aciap destaca importância de incentivar o comércio local

Apoio do consumidores colabora com a economia

Publicado

em

Comprar nas micro e pequenas empresas e valorizar o comércio local como um todo é muito importante nesse período de mudanças provocadas pelo novo Coronavírus para que a economia não seja fortemente afetada nos municípios. Desta forma, os comerciantes têm subsídios para continuar com o negócio, ter possibilidade de crescimento, além de ter condições de continuar gerando empregos, que são tão necessários para que as famílias possam se manter.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Paranaguá (Aciap), Eloir Martins, falou sobre a importância de valorizar esses comerciantes que, assim como todo mundo, não tiveram tempo de se planejar para enfrentar a pandemia. “É sempre muito importante prestigiar o comércio local, independente da situação que estamos vivenciando. O momento é de união para o nosso fortalecimento econômico”, afirmou Martins.

Na segunda-feira, 13, os comerciantes puderam reabrir seus estabelecimentos de forma escalonada, seguindo as medidas de proteção ao Coronavírus, tanto para proteger clientes, como funcionários. “A reabertura do comércio mesmo de forma escalonada é um alento, mesmo porque cidades do nosso porte encontram dificuldades de reabertura por conta dos danos causados pela Covid-19. O remédio é amargo, mas cabe a todos nós seguirmos as recomendações dos Decretos Municipais, que por sua vez obedecem diretrizes das autoridades de saúde”, observou Martins.

O presidente da Aciap ainda comentou sobre o que tem achado da adaptação dos comerciantes neste momento. “Acreditamos que nossos associados estão cumprindo rigorosamente as orientações dos decretos municipais. É a melhor forma de combate à pandemia e, por consequência, a forma mais rápida de voltarmos à normalidade.  Este processo é de vital importância: o engajamento de toda comunidade com bom-senso e boas práticas sanitárias”, ressaltou Martins.

Um levantamento apontou que a alimentação fora do lar, o varejo tradicional, a construção civil e a moda são alguns dos setores que mais sofreram com os impactos da pandemia.