conecte-se conosco

Coronavírus

Paranaguá tem quase 10 mil pessoas vacinadas no fim de semana

No sábado, 8,3 mil cidadãos foram imunizados com a primeira dose

Publicado

em

Na tarde da segunda-feira, 14, o prefeito Marcelo Roque concedeu uma entrevista na Estação Ferroviária, onde fez um balanço da vacinação do público em geral por idade contra o Coronavírus, que chegou à população com idade acima de 35 anos em Paranaguá. Segundo o gestor, a imunização acelerada no município ocorre devido à logística centralizada e ágil com as equipes que atuam na Estação Ferroviária, bem como devido às edições do Corujão da Vacinação e planejamento rápido da Secretaria Municipal de Saúde. Entre a sexta-feira, 11, e a segunda-feira, 14, mais de 10 mil pessoas foram imunizadas contra a Covid-19 em Paranaguá, número que deverá aumentar nos próximos dias com a vinda de mais lotes dos imunizantes.

O prefeito ressalta que no fim de semana, 9.824 pessoas foram vacinadas contra a Covid-19, entre elas, 8.325 foram imunizadas somente no sábado, 12, algo que ele considera um trabalho exemplar. “Batemos o recorde de vacinação em um dia só. Começamos às 7h30 da manhã e terminamos à meia-noite. Foram 16 horas deste povo trabalhando incansavelmente por Paranaguá, essas pessoas que estão aqui se dedicando todos os dias. É uma alegria para eles quando tem a força-tarefa”, afirma. “Não tem preço que pague em ver a alegria e a emoção das pessoas que estão se imunizando”, complementa.

Na segunda-feira, 14, durante a manhã foi anunciado o início da vacinação de pessoas acima de 35 anos, sendo que já no início da tarde, a  Avenida Maximiniano da Fonseca, em frente à Estação Ferroviária, onde ocorre a campanha de imunização, já estava lotada de veículos, bem como a parte interna do prédio histórico. “Nós centralizamos aqui o trabalho porque é muito fácil de você fiscalizar, acompanhar de perto, do que fazer em vários pontos da cidade, o que pode causar aglomerações. Aqui na Estação Ferroviária temos distanciamento, os veículos saem rapidamente, a imunização é muito mais ágil, é um trabalho de eficiência destes funcionários que estão se dedicando aqui”, completa Roque.

Marcelo Roque explica que a redução das faixas etárias imunizadas ocorre de acordo com o número de doses da vacina recebido da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que são enviadas ao Estado pelo Ministério da Saúde.

O gestor explica que nos próximos dias começará a ser aplicada mais intensamente a segunda dose da AstraZeneca, que demanda 90 dias de intervalo entre as doses. “Tudo que for CoronaVac nós aplicamos 13 mil na primeira dose e já chegamos praticamente a 13 mil de segunda dose, então já está feita da CoronaVac, agora precisamos fazer a segunda dose da AstraZeneca. Aí vai encostar muito próximo das doses que a gente já aplicou na primeira dose de 60 mil doses imunizadas com a AstraZeneca”, explica, demonstrando que nos próximos dias a imunização da população local deverá ser acelerada.

“Estamos ansiosos que lá pelo mês de outubro ou novembro nós possamos estar já com 100% do público-alvo acima de 18 anos pelo menos com a primeira dose aplicada no braço da população”, afirma.

Novas doses

O prefeito ressalta que nesta semana mais doses de vacinas contra o Coronavírus devem ser entregues a Paranaguá. “Até porque o Butantan vai começar a distribuir agora também a CoronaVac após ter ficado parado por conta do IFA, do insumo para fabricação da vacina, mas o Butantan já está estimando uma quantia grande para o País todo e certamente aqui para Paranaguá. Então nós vamos ter uma semana bastante agitada aqui na Estação, com bastante vacinação, essa é a nossa expectativa”, explica, destacando que as doses deverão chegar durante a semana e, assim que isso ocorra, o município agilizará a imunização da população o mais rápido possível, algo que inclui dias de fim de semana e feriados. 

“Estamos ansiosos que lá pelo mês de outubro ou novembro nós possamos estar já com 100% do público-alvo acima de 18 anos pelo menos com a primeira dose aplicada no braço da população”, afirma o prefeito Marcelo Roque

O prefeito destacou a segurança das vacinas de todos os laboratórios que estão sendo disponibilizadas no Brasil e em Paranaguá, algo que possui respaldo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e órgãos científicos. “Não tem nenhuma estatística de vacina melhor do que a outra, todas tem a mesma eficácia, tanto a da CoronaVac, a Astrazeneca, quanto a Pfizer. Não adianta você querer vir escolher aqui, que a vacina que estiver à disposição você tomará no braço. Não fique esperando em casa chegar a vacina que você quer, pois as coisas não acontecem desta forma. Venha para a Estação, independente de qual vacina vir para ser aplicada”, informa.

“A vacina não pára. Ela não fica na Estação, ela vai para o braço da população. Esse negócio de ficar esperando a semana inteira para vacinar não é com a gente. É no braço e é de imediato”, acrescenta Roque.

Imunização acelerada

O prefeito destacou o avanço da imunização em Paranaguá diante do cenário estadual, visto o avanço da imunização em grupos prioritários e público em geral por idade, que já chegou até os 35 anos, enquanto outros municípios estão com a imunização menos adiantada. “Além disso, o estoque de segunda dose está todo reservado, nós temos aqui entre 6 a 7 mil doses reservadas para a segunda dose da população de Paranaguá. Nós não mexemos na segunda dose. Estamos tirando da quantidade grande que recebemos para grupos com comorbidades, com mil cadastros que foram feitos neste grupo, mas chegou 3 mil a mais, aí o que fazemos: aplico no braço da população”, afirma.

“Fazemos um planejamento de tudo isso. Estamos fazendo rapidamente a vacinação por faixa etária e não estamos deixando falta para comorbidades, Benefício de Prestação Continuada (BPC), profissionais da educação”, informa o gestor. “Não está brotando vacina de lugar nenhum. A quantidade que vem para Paranaguá vem para todo o Paraná com relação ao número de habitantes. Ninguém tem privilégio. Aqui temos um lugar específico que vacina 8 mil pessoas ao dia e que não fica parado, não ficamos com as vacinas aqui. Tivemos um planejamento por faixa etária, tivemos também a vacinação da população ribeirinha, que muitos municípios não têm”, ressalta.

Fotos: Prefeitura de Paranaguá/Secom