conecte-se conosco

Coronavírus

Paranaguá inicia vacinação da quarta dose contra a Covid-19 para pessoas com 40 anos ou mais

O intervalo deve ser de quatro meses após a terceira aplicação. A vacinação contra a Covid-19 ocorre no Terminal Urbano, Centro e na Subprefeitura, no Nilson Neves, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira

Publicado

em

A Secretaria Municipal de Saúde de Paranaguá informa que a partir de terça-feira, 21, pessoas com 40 anos ou mais e com intervalo de quatro meses após a terceira dose, poderão receber a quarta dose contra a Covid-19.

Ainda continuam disponíveis as demais fases de imunização: primeira dose a partir dos 5 anos, segunda dose conforme o calendário vacinal e terceira dose após quatro meses da segunda dose.

A vacinação contra a Covid-19 ocorre no Terminal Urbano, Centro e na Subprefeitura, no Nilson Neves, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Ministério da Saúde

A informação foi divulgada pelo Ministério da Saúde na manhã da segunda-feira, 20, e com a inclusão dessa faixa etária, aproximadamente 9 milhões de pessoas deverão se vacinar no país.

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Daniel Pereira, reforçou que as decisões da pasta são baseadas em critérios científicos. “Hoje o Ministério da Saúde reforça seu caráter sempre vigilante em relação à pandemia da Covid-19. Todas as decisões são baseadas em evidências científicas. É extremamente necessário que a população busque um posto de saúde e, em especial, as doses de reforço”, disse Pereira.

Uma pesquisa feita pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, encomendada pelo Ministério da Saúde, mostrou que a combinação heteróloga para a dose de reforço, ou seja, de vacinas diferentes, é mais eficaz. Até agora, mais de 6,6 milhões de brasileiros tomaram a segunda dose de reforço.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, convidou a população brasileira a buscar um posto de vacinação. “O motivo de estarmos aqui hoje é muito mais no sentido de convocarmos cada vez mais a população brasileira a procurar um posto de vacinação e tomar a sua vacina para termos uma população cada vez mais protegida. A vacina boa é aquela que é aplicada no braço. Os estudos mostram o efeito protetor que a vacina tem nos casos de complicações e agravamento por Covid-19”, enfatiza Medeiros.

Nova recomendação

Quem iniciou o esquema vacinal com a dose única da Janssen também deverá reforçar a proteção contra o vírus. A última recomendação era para aplicação de dose de reforço em pessoas a partir dos 18 anos, dois meses após a primeira aplicação. Agora, quem tem 18 anos ou mais deverá receber um segundo reforço quatro meses após o primeiro reforço.

Aqueles com idade superior a 40 anos precisam de um terceiro reforço, que deverá ser aplicado após o intervalo de quatro meses do segundo. Nesses casos, a recomendação é que sejam usadas as vacinas AstraZeneca, Pfizer ou Janssen.

Campanha de imunização

O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 518 milhões de doses das vacinas Covid-19, garantindo a proteção de 77% da população brasileira com as duas doses. Com exceção do grupo de 5 a 11 anos, último a ser incluído no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19 (PNO), todas as outras faixas etárias estão com uma cobertura vacinal com a primeira dose superior a 90%.

A cobertura com as doses de reforço vem crescendo conforme a inclusão dos grupos. Entre os idosos, por exemplo, a cobertura com a primeira dose de reforço chega a 92,4%.

Quarta dose contra a Covid-19

Reforçar a imunização é importante para evitar casos graves e óbitos por Covid-19, por isso, o Ministério da Saúde busca conscientizar a população quanto aos benefícios da vacinação. Aproximadamente 22 milhões de brasileiros que iniciaram a vacinação contra a Covid-19 estão aptos para a segunda dose. A estimativa para a primeira dose de reforço, indicada para quem tem 12 anos ou mais, é de 62 milhões de pessoas aptas; e aproximadamente 27 milhões, no caso da segunda dose de reforço. Essas pessoas já podem procurar um posto de vacinação e receber o imunizante.

Com informações da Secom/PMP e do Ministério da Saúde