Connect with us

Coronavírus

Leitos no Hospital Regional são destinados a pacientes de todo litoral

Hospital Regional centraliza atendimento a pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19 no litoral

Publicado

em

Local está preparado para atender casos do novo vírus

Até a sexta-feira, 3, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) trouxe boletim onde destacou que o litoral do Estado conta com três casos confirmados do novo Coronavírus, um em Matinhos e dois em Paranaguá, trazendo a pandemia, que já é mundial, do Brasil e do Paraná, para a “porta de casa” dos moradores litorâneos. Estes dados trazem uma preocupação quanto ao número de leitos em Paranaguá e na região para pacientes que precisam ser internados em quadro mais grave da doença, algo que foi abordado em coletiva da Prefeitura de Paranaguá na quinta-feira, 2, com equipe da Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap).

De acordo com um dos coordenadores da Sala de Situação do Coronavírus, GianFrank Julian Tambosetti, o número de leitos para atendimento é algo que muda de um dia para outro. “Tivemos nesta semana reunião com o Comitê Regional de Urgência e Emergência e o planejamento da esfera estadual e municipal é feito na medida em que epidemiologia vai mudando. Temos hoje o número de cerca de 20 leitos públicos, essa informação é mais própria quando oferecida pelo Hospital Regional do Litoral (HRL) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), há possibilidade eminente de aumento desses leitos”, explica. Além disso, os leitos atuais do HRL são destinados para atendimento nos sete municípios do litoral. 

Segundo Tambosetti, há também mais leitos na rede particular de saúde. Ele afirmou que são as instituições privadas é que podem dar um número mais exato desta quantia. Segundo o coordenador, o paciente que esteja em leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em caso grave da Covid-19, permanecerá nesta situação em torno de 20 a 30 dias. De acordo com a prefeitura, os leitos localizados no HRL são destinados a pacientes dos sete municípios do litoral, e não somente de Paranaguá. 

Casos suspeitos no HRL

Segundo Gianfrank, já há ocupação parcial de pacientes com síndromes respiratórias em leitos Hospital Regional, algo que será acometido na população. “Todas as síndromes respiratórias são suspeitas, não necessariamente de Coronavírus, pode ser H1N1 ou Influenza. Então, até a confirmação, dizemos que são casos de síndromes respiratórias”, explica.  

Números do boletim

Segundo a Prefeitura de Paranaguá, a apuração de um caso confirmado ou não de Coronavírus é feito pelo Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen), sendo que atualmente isso é realizado em um período de sete a três dias. “É complicado. Eu quero chamar a atenção que o Lacen é o mesmo que faz os exames da dengue. Eles estão parando as notificações e exames de dengue para centralizar os casos suspeitos do Lacen, isso ocorre no Estado todo”, afirma a secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro.

De acordo com a gestora, um questionamento realizado por ela ao Estado é sobre possibilidade de laboratórios do litoral  serem credenciados para exame da Covid-19. “O grande problema que temos não é somente o credenciamento, mas a questão de insumos para fazer os exames. É uma crise mundial. A falta de insumos, EPIs e daqui a pouco de medicamentos é do mundo. Muito complicado darmos números precisos, exatos, pois isso vai mudando”, acrescenta, ressaltando que a análise de protocolos é feita constantemente para evolução contínua.

“Tudo isso é um forma de revermos nossos conceitos, de olhar para a nossa realidade de Paranaguá enquanto cidade portuária, pegar esse momento para tratar uma história, um projeto, um protocolo, pois outras epidemias virão”, finaliza a secretária de Saúde.