Connect with us

Coronavírus

Como higienizar as embalagens dos alimentos?

Médica dá orientações para evitar a contaminação (Foto: Ilustrativa)

Publicado

em

Um estudo publicado na revista científica New England Journal of Medicine analisou a resistência do Coronavírus em algumas superfícies como o papelão e o plástico. Com isso, os pesquisadores observaram que no papelão, material comumente utilizado para embalar pizzas, o vírus pode resistir até 24 horas. Já no plástico, presente nas sacolas, ele pode permanecer por até três dias.

Sendo assim, há que se ter um cuidado com as embalagens recebidas por delivery, prática que se tornou ainda mais comum com o isolamento social. A médica infectologista, Dra. Michelle Zicker, explicou o que as pessoas precisam fazer assim que recebem essas embalagens de alimentos em casa.

“O vírus não se multiplica nas embalagens, mas elas servem como ‘veículo’ para propagar a infecção. A infecção acontece através das mãos que tocam a superfície contaminada e em seguida são levadas à boca, nariz ou olhos. Preferencialmente, as embalagens devem ser jogadas fora. Caso não seja possível, elas devem ser higienizadas. Os saquinhos plásticos de supermercado devem ser evitados e substituídos pelas sacolas de tecido que devem ser lavadas com água e sabão após o uso”, orientou a médica.

O cuidado se estende também às mãos após tocar nesses objetos. “É extremamente importante higienizar as mãos com água e sabão ou álcool gel após tocar superfícies e produtos”, completou a médica.

Segundo ela, essas embalagens podem ser limpas com água sanitária. “Preferencialmente, elas devem ser jogadas fora. Caso não seja possível, elas podem ser higienizadas com água e sabão, álcool a 70% ou solução de água sanitária. Não esquecer de higienizar a bancada onde as embalagens foram colocadas”, frisou a Dra. Michelle.

A médica ainda falou sobre colocar o alimento por alguns minutos dentro do forno quente para acabar com o vírus. “Em geral, o Coronavírus sobrevive menos em ambientes quentes e úmidos do que em ambientes secos e frios. Entretanto, ainda são necessários estudos para determinar qual a temperatura mínima capaz de inativar o vírus. As evidências até o momento sugerem que o novo Coronavírus não é transmitido através de alimentos. Como regra, o cozimento ou fritura adequados eliminam a eventual presença de um vírus nos alimentos e o reaquecimento, antes do consumo, evitaria uma eventual contaminação ocorrida após o preparo”, observou Dra. Michelle.

Cuidados nos supermercados

De acordo com a médica, não é aconselhável utilizar luvas nos supermercados. “Se a pessoa que estiver usando as luvas encostar em uma superfície contaminada e, em seguida, colocar a mão nos olhos, no interior do nariz ou na boca, ela entrará em contato com o vírus.  Por isso, a melhor forma de prevenir a infecção é higienizar as mãos após tocar superfícies ou produtos”, disse.

Outros cuidados devem ser tomados se for necessário fazer compras. “Como: evitar longa permanência nos estabelecimentos, manter a distância de pelo menos um metro das demais pessoas, principalmente nas filas, evitar falar excessivamente, rir, tossir, bocejar, espirrar, tocar nos olhos, nariz e boca enquanto escolhe os produtos expostos,  preferir produtos previamente embalados, evitando tocar os produtos em exposição, não degustar bebidas e alimentos nos estabelecimentos comerciais e usar máscara de pano sempre que sair de casa”, orientou a médica.

Antes de manusear os alimentos trazidos dos supermercados, é orientado lavar as mãos com água e sabão. “Os alimentos consumidos crus devem ser lavados com água corrente abundante, podendo ser imersos em uma solução com hipoclorito de sódio (1-2 colheres de sopa para cada litro de água) por 15 minutos e enxaguados a seguir. Deve-se lavar com água e sabão os alimentos que possam ser lavados ou que possuam embalagens laváveis. Além de borrifar álcool a 70% nas embalagens que não podem ser lavadas, deixando secar naturalmente antes de guardar os alimentos”, concluiu Dra. Michelle.