Connect with us

Coronavírus

Boa ação a idosos e grupo de risco chama a atenção em edifício residencial

“O isolamento social é fundamental para conter o crescimento do número de pessoas contaminadas pelo Covid-19”, afirma Lucas Santiago (Foto: Reprodução)

Publicado

em

Advogado criou lista de voluntários para ajudar moradores

Durante esta semana, uma iniciativa no Edifício Nossa Senhora do Rocio, no Centro Histórico de Paranaguá, chamou a atenção de moradores por conta de ser um ato de solidariedade em tempos de crise da pandemia do novo Coronavírus. O advogado Lucas Santiago Alves dos Santos Vitorino deixou exposta na portaria do prédio onde reside,  uma lista se dispondo a fazer compras para idosos e pessoas em grupo de risco da Covid-19, bem como deixando um espaço à disposição para outros voluntários que queiram colaborar na empreitada solidária.

O informe escrito pelo advogado afirma “Senhoras e Senhores e também os que estão no grupo de risco: para que vocês fiquem em casa, se precisarem comprar algo no supermercado, farmácia ou padaria, é só interfonar que eu vou para os senhores!”, deixando o número do interfone do seu apartamento e do celular à disposição. Além disso, o aviso deixa espaço para outros voluntários que queiram ajudar, com espaço para nome, telefone e número do apartamento. “Não esqueçam de lavar bem as mãos, usem álcool em gel, evitem aglomerações e se hidratem bastante”, finaliza o aviso de Lucas. 

De acordo com ele, a iniciativa surgiu da necessidade de resguardar essas pessoas que estão no grupo de risco no prédio. “Tenho avós e minha mãe está passando por tratamento oncológico, então pensei em fazer pelos parentes dos outros o que gostaria que fizessem com a minha família”, explica. 

Adesão de outros voluntários

Aviso que foi fixado na portaria do prédio. Solidariedade em tempos de crise 

“Com relação às pessoas que precisam de ajuda, eu esperava mais solicitações, acho que ainda elas têm um pouco de receio. Acredito que esse medo é proveniente do individualismo e egoísmo que infelizmente são tão latentes na nossa atual realidade, com isso elas ficam ressabiadas quando há alguma coisa que não demande algo em troca”, afirma o advogado.

Solidariedade

Lucas Vitorino afirma que a iniciativa dele, assim como acontece em outros prédios em Curitiba e em capitais do Brasil, deveria se estender a outros edifícios em Paranaguá. Outro ponto é que a ação fez com que, em pleno período de crise sanitária, ele se aproximasse da vizinhança do prédio de certa forma, algo que poderá prosseguir após o fim da pandemia. “Eu mesmo tive a oportunidade de conhecer outros vizinhos que, em tempos normais, acabaria não tendo contato”, completa.

Vivemos um momento atípico que demanda de solidariedade, assim, se cada um fizer sua parte, mesmo com pequenas atitudes, podemos superar essa situação que nos assola da melhor forma possível. Pedindo licença para falar o óbvio, essa pandemia do novo Coronavírus coloca em risco o maior bem de cada um: a vida. Então não devemos tratar essa situação como histeria, mas sim fazermos de tudo para amenizar suas consequências, pois quando tratamos de vida não há número aceitável de mortes”, salienta Lucas 

“O momento impõe que respeitemos as recomendações dos especialistas. O isolamento social é fundamental para conter o crescimento do número de pessoas contaminadas pela Covid-19”, finaliza.