conecte-se conosco

Coronavírus

Após 35 dias, taxa de transmissão do vírus volta a se manter controlada no Paraná

Índice de contágio no Estado está em 0,92

Publicado

em

Foto: Guilherme Almeida/CP

A taxa de transmissão do vírus da Covid-19 voltou a se manter controlada no Paraná, devido a diminuição de pessoas contaminadas a cada 100 habitantes. É a primeira vez que o índice aparece abaixo de 1,0, configurando uma queda no período pandêmico.

A última atualização no sistema Loft.Science, que calcula o Rt médio de todos os Estados e do Brasil, com base em um algoritmo desenvolvido pela empresa, apresenta taxa em 0,92 no Paraná, dado alcançado após 35 dias da aceleração no número de casos confirmados da doença.

O pico da pandemia em 2022 foi registrado em 13 de janeiro quando a taxa atingiu 1,97, indicando que a contaminação estava acelerada no Paraná. Deste dia em diante, o índice foi diminuindo, a curva decrescendo e ainda segue em queda.

A tendência, de acordo com o sistema Loft.Science, é que a taxa no Paraná siga em queda, pois é o único caso em que a situação pandêmica demonstra melhora. Quanto mais próximo de zero, menores as chances de contágio do vírus.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, alertou a população para a importância da imunização. “Cada dose aplicada é motivo de alegria. Precisamos que a população paranaense continue se conscientizando da relevância e efetividade dos imunizantes no combate a Covid para que possamos vencer essa pandemia”.

A última atualização do sistema Loft.Science, em 11 de fevereiro, que calcula o Rt médio de todos os Estados e do Brasil com base em um algoritmo desenvolvido pela empresa, registrou uma taxa de 0,92. “O indicador tem como objetivo estimar o nível de contágio pelo vírus em um território durante a pandemia. A contaminação está acelerada se a taxa está acima de 1, estável se é igual a 1 ou em queda se está menor que 1”, informou a Sesa.

Com este cenário ainda pandêmico, a recomendação das autoridades de saúde é de manter a precaução e continuar seguindo protocolos de segurança e distanciamento social, sempre que possível, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19. O uso de máscara segue obrigatório no Estado.

“Continuamos vacinando e defendemos essa atitude, pois no momento é a única defesa que temos para nos protegermos do vírus”, enfatizou o secretário Beto Preto. “A eficácia de cada uma dessas vacinas está comprovada. Confiar na ciência, nos novos estudos científicos são fundamentais para combater esse vírus, que modificou nossa rotina e resultou em muita tristeza às famílias”, completou.

Brasil

Sete estados brasileiros estão com taxa de transmissão abaixo de 1,0, algo que não havia sido registrado ainda em 2022, são eles: Rio de Janeiro, Amazonas, Ceará, Minas Gerais, Espírito Santo e Santa Catarina. O País apresenta índice de 0,82.

O Sergipe é o estado com maior taxa de transmissão do Brasil, com 1,44. A Paraíba é segundo estado com 1,37 de taxa de transmissão e o estado do Pará aparece em terceiro, também com taxa de 1,36.

Casos e Óbitos

A taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 está em 69% no Estado. A Secretaria Estadual de Saúde informou que a média de idade dos pacientes que morreram por consequência da Covid-19 é de 65 anos. De acordo com a secretaria, os homens são maioria entre as pessoas que morreram pela doença, com 23.914 óbitos (57% das mortes).

Em relação aos casos confirmados no Paraná, a média de idade dos pacientes infectados é de 38 anos, onde a maioria é de mulheres, com 1.177.371 casos, ou seja, 53%.