91% dos paranaenses estão de acordo com o fechamento parcial de estabelecimentos, diz Datacenso

26 de março de 2020

Cerca de 86% dos paranaenses aprova medidas do Governo do Estado 

As mudanças que a pandemia do novo Coronavírus está provocando na sociedade paranaense são visíveis, com números de infectados pela doença crescendo diariamente no Paraná e no Brasil, diversas medidas foram tomadas pelo Poder Público, por meio da União, Estados e municípios, com foco no isolamento social, redução da disseminação da Covid-19 e tentativa de reduzir impactos econômicos. O Grupo Datacenso realizou uma pesquisa de opinião entre os paranaenses com o intuito de avaliar como a população está analisando as medidas estatais e como a Covid-19 está alterando o dia a dia dos cidadãos, algo divulgado na última semana.  

O recente estudo realizado pelo Grupo Datacenso, nos dias 19 e 20 de março de 2020, com 2 mil paranaenses, mostra que 86% da população está aprovando o plano de combate adotado pelo governador Ratinho Júnior para conter a Covid-19. Além disso, 67% da população durante o período da pesquisa aprovou parcialmente ou totalmente as medidas do governo do presidente Jair Bolsonaro. 

Segundo o levantamento, 40% dos paranaenses sentiram um alto impacto com o Coronavírus no seu cotidiano, seguido de 39%, que diz ser médio, 17% baixo e 4% nenhum. “E a maioria (56%) tem receio ou medo, de contrair a doença, 24% está passando mais tempo em casa, e 20% evita fazer compras em dinheiro, limpa assentos e privadas, utiliza mais serviços de Delivery, compra mais produtos on-line”, informa a assessoria do Datacenso. 

Hábitos novos

A pandemia está causando novos hábitos na população paranaense, algo demonstrado na pesquisa, que aponta que 56% dos paranaenses aumentaram a sua higiene pessoal, lavando as mãos e passando álcool em gel mais vezes. Além disso, 24% estão passando mais tempo em suas residências e 20% dos moradores do Paraná estão evitando fazer compras em dinheiro, utilizando mais serviços de entrega ou compras on-line. 

Abastecimento

O Datacenso reforça que não há risco de desabastecimentos nos mercados, mesmo com o alto fluxo de pessoas, algo garantido pela Associação Paranaense de Supermercados (Apras). Tal confiança foi repassada aos paranaenses, como visto no levantamento. “Oitenta e um por cento dos paranaenses não fizeram estoque até o momento, apenas 28% fizeram estoque de alimentos e/ou de produtos de higiene e limpeza, 5% de medicamentos, 1% de Streaming e 1% de outros no geral. Também têm sido evitadas situações, como locais com concentração de pessoas, restaurantes, reuniões com amigos, eventos, consultas e utilização de transporte”, explica a assessoria. 

Fechamento parcial 

Segundo Grupo Datacenso, maior parte dos paranaenses acredita que pandemia da Covid-19 durará de dois a três meses

“Praticamente todos os paranaenses (91%) estão de acordo com o decreto 4.301/20 emitido na quinta-feira, 19, pelo Governo do Estado, que determina o fechamento de shopping e estabelecimentos congêneres, além de academias e centros de ginástica, com o objetivo de evitar a propagação do Coronavírus no Paraná”, informa o DataCenso. 

Paranaenses acreditam que pandemia irá durar de dois a três meses

Cinquenta e quatro por cento dos paranaenses acreditam que a pandemia do Coronavírus deverá durar de dois a três meses. “Vinte e quatro por cento de quatro a seis meses, 16% até 1 mês, e 6% até seis meses, e 1% fez outras citações. E para 83% a economia do País deve piorar”, detalha a assessoria. 

Maioria se informa por veículos de comunicação

De acordo com o estudo do Datacenso, os canais mais utilizados pelos paranaenses para se informar sobre a Covid-19 e pandemia são os veículos televisivos e de imprensa em geral (35%), redes sociais (29%), rádio (25%) e sites especializados (11%). “Lembrando que as respostas foram espontâneas múltiplas”, explica o Datacenso.

CEO do Grupo Datacenso detalha pesquisa

Claudio Shimoyama, CEO do Grupo Datacenso, economista e doutor e mestre em Engenharia da Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), afirma que a pesquisa foi feita de forma on-line e traz informações importantes na mudança de comportamento do paranaense durante a pandemia, bem como compreende se os cuidados médicos e de saúde exigidos pelas autoridades estão de fato ocorrendo no Estado. “Os números mostram que os paranaenses estão preocupados e se protegendo do Coronavírus”, afirma. 

De acordo com o CEO, o Coronavírus e a pandemia trarão impactos na economia e sociedade não só em 2020, mas também nos próximos anos. “Na economia, com desaquecimento e aumento do desemprego e fechamento de empresas. No comportamento da população, com novos hábitos de consumo, social, na saúde e educação”, detalha.

Metodologia

“A pesquisa foi realizada de forma quantitativa, os dias 19 e 20 de março. No levantamento foram entrevistados 2 mil respondentes, paranaenses, on-line. A leitura dos resultados deve considerar uma margem de erro de 2%, considerando grau de confiança de 95%, sendo satisfatória para uma análise estatística”, informa o Grupo Datacenso.