Connect with us

Editorial

Violência e suas ramificações

“A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida, a liberdade do ser humano”.

Publicado

em

"A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida, a liberdade do ser humano". Essa frase pertence a João Paulo II, o qual foi o líder da Igreja Católica durante um longo tempo e buscou, durante seu papado, pregar a paz e a harmonia, promovendo avanços consideráveis na visão dos fiéis e comandantes da denominação religiosa. A religião não é antagônica ou dissociada da sociedade em geral, muito pelo contrário, é parte integrante, daí a importância da abertura de diálogo sobre os mais diferentes problemas que afetam o meio social e uma dessas questões está ligada justamente à violência doméstica e a tão comum inferiorização da mulher.

Quando o então papa e atual santo católico João Paulo II se expressou com a frase acima, remeteu a uma situação que traz medo, revolta, consternação e outros variados sentimentos: a violência contra a mulher, fator que se refere à vergonha, pois evidencia aspectos que devem ser combatidos e superados em qualquer sociedade contemporânea, dentre os quais o machismo, preconceito, desrespeito, amor e cordialidade entre as pessoas.

A mulher precisa ser valorizada e encontrar respaldo em todas as frentes sociais para que possa ter seus direitos resguardados. Juridicamente, há inúmeras leis voltadas a proteger os cidadãos, e a Lei Maria da Penha veio como uma conquista nesse universo, pois visa a punir de forma mais severa algo tão comum no cotidiano atual: agressões, ameaças, violência psicológica, sexual e outros fatores. É válido se ressaltar que todos esses quesitos contribuem e acarretam prejuízos incontáveis para as mulheres vítimas.

Em virtude de todos os problemas elencados, percebe-se a necessidade de se haver delegacias voltadas ao atendimento a mulheres, pois já é uma forma de vergonha e intimidação a agressão sofrida, não cabe mais exposição a ambientes em que a pessoa se sinta mais acuada. Assim, com o espaço adequado, a mulher pode se sentir mais acolhida e apoiada, favorecendo o combate a esta mancha social que se torna mais intensa dia após dia.

No entanto, em matéria nesta edição, pode-se perceber que na maioria dos municípios brasileiros não há delegacia de atendimento exclusivo à mulher, o que deve ser observado com mais atenção por autoridades e poderes constituídos, pois é essencial que essa parcela social seja mais assistida e, consequentemente, a violência doméstica seja coibida com mais rigor.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.