Logotipo

14 de fevereiro de 2020

Iniciativa da Portos do Paraná contra o assédio moral

Uma pesquisa realizada por um site especializado em empregos divulgada pela BBC Brasil aponta que metade dos brasileiros já sofreu assédio no trabalho. Isso porque dos 4975 profissionais entrevistados, 52% afirmaram ter sido vítimas de assédio sexual ou moral. Apesar de parecer ser um assunto longe da realidade de muitas pessoas, o Conselho Nacional de Justiça considera assédio moral como toda conduta abusiva, a exemplo de gestos, palavras e atitudes que se repitam de forma sistemática, atingindo a dignidade ou integridade psíquica ou física de um trabalhador. Ou seja, ações que parecem ainda ser aceitáveis no ambiente de trabalho, como acusações, insultos, gritos e indiretas, são consideradas assédio e devem ser denunciadas.

Considerando situações como essas, a Empresa Pública Portos do Paraná lançou nesta semana uma campanha para prevenir e combater situações de assédio, de todo e qualquer tipo, no ambiente de trabalho. É realizada então uma campanha publicitária e informativa destinada ao público interno da empresa.

Vale ressaltar que é importante saber distinguir o assédio moral de outras ações; pois para que ele seja comprovado é necessário que se prove que a conduta desumana e antiética do empregador tenha sido realizada com frequência, de forma sistemática.

Vale ressaltar também que entre quem não passou por esta situação, 34% das pessoas já presenciaram algum episódio de abuso.

A iniciativa da Portos do Paraná é louvável e deve ser valorizada, já que a própria Câmara Federal aprovou em 2019, projeto de lei que torna crime o assédio moral no trabalho. Isso porque a ação abre debates sobre a gravidade do problema, que pode afetar a saúde das vítimas e comprometer o ambiente de trabalho como um todo.

Compartilhe

Colunistas