Connect with us

Editorial

As marcas históricas da desigualdade social retratadas na violência nas ruas

Historicamente, o Brasil é um dos países mais marcados negativamente e desde a sua origem, pela desigualdade social desenfreada.

Publicado

em

Historicamente, o Brasil é um dos países mais marcados negativamente e desde a sua origem, pela desigualdade social desenfreada. No período Brasil Colônia, com a chegada dos portugueses, houve a tomada das terras brasileiras e de todos os bens, que pertenciam aos indígenas.

A exploração resultou na busca pela mão de obra barata, o que levou à escravidão. Com isso, os negros passaram a ser objetos de mercadorias, foram escravizados, e além de ser refutada a eles qualquer condição de dignidade humana. Surgiram, então, dentro de todo o aspecto histórico brasileiro, as primeiras formas de desigualdades sociais no Brasil.

Os fatos, vistos de forma cronológica estão bem longe dos tempos atuais, mas o que se percebe é que este círculo vicioso da falta de igualdade social se perpetuou no País. E essa situação é bastante real, atualmente. Basta olhar pelas esquinas e perceber a quantidade de moradores em situação de rua. Esta é a realidade nua e crua.

Nesta semana, um fato isolado chamou a atenção e acendeu o alerta para a problemática social. Isso porque dois moradores de rua, os quais realizavam atividades artísticas por conta própria nas esquinas da cidade, entraram em vias de fato e um deles acabou matando o outro com um golpe de faca.

A polêmica foi instaurada sobre diversas questões, entre elas sobre a prática dessas atividades de forma não regulamentada nas ruas, a solidariedade, além das condições a que essas pessoas vivem, colocando por consequência, toda uma sociedade à vulnerabilidade da violência e da crescente insegurança.

Basta lembrar que na maioria dos casos, o que leva esse grupo às ruas é a falta de emprego, a falta de oportunidade social e econômica e uma desestrutura social toda interligada. 

Deve-se ter em mente que, a morte de um morador de rua, sob a perspectiva social e humana, não significa “menos uma pessoa na rua”, e sim o atestado da falência social de uma cidade, um Estado e um País. Pois a violência atinge todos os grupos sociais e é preciso trabalhar para que essa realidade mude na prática e não em discurso.

Uma pesquisa publicada pelo Ipea projetou que o Brasil tem pouco mais de 100 mil pessoas vivendo nas ruas. Ou seja, um número bastante expressivo e que não se resolve na omissão, mas em políticas públicas voltadas a levar essas pessoas para suas cidades de origem e lhes dar a garantia de um trabalho, uma moradia, um tratamento de saúde adequado.

Dificilmente alguém opta, em sã consciência, por viver à margem, na rua. Desculpe, sociedade, mas essas pessoas, também, humanas, assim como todo cidadão, são escravas de um sistema social, econômico e político que precisa evoluir. Todos querem respostas, direitos, e garantias para viver com segurança e qualidade de vida. 

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.