Connect with us

Editorial

As “fake news” e os impactos sociais danosos

As vilãs sociais da nova era da comunicação e tecnologia, as famosas “fake news”, acabaram por se tornar prejudiciais e nocivas à comunidade.

Publicado

em

As vilãs sociais da nova era da comunicação e tecnologia, as famosas “fake news”, acabaram por se tornar prejudiciais e nocivas à comunidade. Isso porque a facilidade de acesso à internet, redes sociais e plataformas digitais facilitou a propagação de notícias falsas, as quais muitas vezes nem sequer são desmentidas ou desmascaradas.

Ou seja, a evolução da tecnologia criou um campo fértil para a propagação de boatos, mentiras e notícias falsas. E aí é que entram os ruídos que sobram para os meios de comunicação oficiais, já que os mesmos, além de lutarem contra a propagação das notícias inverídicas, acabam fazendo o trabalho de desmenti-las.

Em matéria publicada na edição de terça-feira, 5, na página 4, o advogado Caio Nazário de Souza, graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), fala sobre os prejuízos das “fake news” e as responsabilidades jurídicas.

É importante lembrar que segundo um levantamento feito pelo Instituto Ipsos, o Brasil é o País que mais acredita em “fake news” no mundo. Mais de 120 milhões de brasileiros acreditam em notícias falsas, segundo o estudo, divulgado no dia 2 de outubro do ano passado. Segundo os dados, 62% dos brasileiros acreditam em notícias falsas, seguidos de Arábia Saudita e Coreia do Sul (58%) e peruanos e espanhóis (57%).

Ou seja, os dados são alarmantes e preocupantes, pois acreditar em notícias falsas é aceitar, viver e difundir uma realidade inexistente e que, certamente, será propagada como conhecimento para outras pessoas.

Portanto, é hora de cada cidadão passar a se preocupar seguindo o princípio da dignidade sobre cada informação que replica, principalmente, nas redes sociais.

As notícias falsas não recaem apenas sobre a área política, como se tem visto nos últimos meses, desde as eleições presidenciáveis. Elas têm caráter de irresponsabilidade, crime e podem ocasionar transtornos a toda uma sociedade. Basta pensar que uma notícia falsa sobre uma pessoa, por exemplo, pode se enquadrar em crime de calúnia, difamação, injúria e comunicação falsa de crime ou de contravenção. Vale o alerta e a reflexão.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.