Connect with us

Crônicas

Gavetas não sabem ler

Comprei outros livros de diversos autores. Fui percebendo cada estilo e narrativa.

Publicado

em

Era fevereiro de 2011, eu lia, com muito prazer, um livro de crônicas que ganhara recentemente. Ao terminá-lo, encasquetei que talvez também pudesse escrever naquele mesmo gênero. Iniciava, aí, a minha fase de delírios! A história poderia acabar ali. Nada mais a acrescentar. Só que não foi isso que aconteceu.

Comprei outros livros de diversos autores. Fui percebendo cada estilo e narrativa. Tornei-me uma autodidata dedicada e persistente no propósito de escrever.

Destemida e com uma força de vontade capaz de inquietar até os mais acomodados, segui em frente e sem fazer planos.

Para minha surpresa, escrevi um texto, por dia, durante todo o mês de fevereiro. Era como se a escrita estivesse presa dentro de mim e, naquele momento, ganhou alforria.

Um belo dia, tomei coragem e desengavetei os textos. Tornei-os públicos.

Mais e mais, fui ganhando gosto pela escrita e vi nascer, em mim, uma nova versão. Uma estreia que se somaria a tantas outras que me habitam.

A versão que escreve é um pouco diferente, apesar de ter herdado várias características minhas. Considero que ela é mais leve, mais ousada, sabe lidar melhor com os imprevistos, com o caos do bloqueio criativo e com a chegada repentina dos insights.

Com essa leveza toda, foi abraçando o inesperado e as surpresas que surgiam no caminho. Gosto de vê-la em ação.

Oito anos se passaram desde o momento inquietante em que ela, meio de brincadeira, se pôs a escrever. Apesar das responsabilidades que foram surgindo, à medida que a escrita avançava, nunca perdeu a gaiatice e encara tudo com naturalidade e compara o momento da escrita a uma visita ao parque de diversões.

Este ano, em mais um rompante, decidiu que organizaria alguns textos em um livro. Foi em frente, sacudindo os obstáculos e vendo avançar o seu mais novo desafio. Trouxe para perto de si quem poderia ajudar a transformar o seu delírio em realidade. Questionou, deu de ombros para as adversidades e, de tanto se movimentar, tomar decisões e querer, fez acontecer.

Assim, acaba de nascer “Gavetas não sabem ler” uma coletânea com 80 crônicas, publicadas em jornal, no período de 2011 a 2017, e lançadas em livro de forma independente.

Ela é um dos meus “eus”, mas desconfio que tem vida própria, respira fora do meu corpo, oxigena-se e estende a mão para que eu, muito mais tímida, reclusa e reservada, possa desfrutar do passeio que me proporciona.

É bem possível que essa versão mais fértil em ideias seja capaz de gerar filhos em formato de páginas. Livros, a partir de agora, tornam-se a prole dessa minha porção, compensando o meu relógio biológico que encerrou o seu ciclo.

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.