Connect with us

Crônicas

Balas Soft

As balas soft não podiam faltar. Grandes, coloridas, redondas e duras. Duras o suficiente para nenhum dente ser capaz de quebrá-la.

Publicado

em

Se você não viveu os áureos tempos da década de 80, é possível que nunca tenha visto uma bala soft na vida. Mas, por curiosidade, pergunte ao seu pai ou à sua mãe e eles terão não uma, mas várias histórias para contar sobre ela.

Faço parte da geração “bala soft”, em que uma das alegrias da vida era parar diante de um baleiro de vidro, cheio de compartimentos, recheado por balas coloridas e diversas outras guloseimas, girá-lo no sentido horário e anti-horário, enquanto os olhos se alegravam e a boca salivava.

Sacávamos umas moedinhas do bolso e comprávamos quantas balas o dinheiro fosse capaz de pagar.

As balas soft não podiam faltar. Grandes, coloridas, redondas e duras. Duras o suficiente para nenhum dente ser capaz de quebrá-la. Mais fácil a bala tirar uma lasquinha do dente, ao tentar mordê-la, do que o dente quebrar a bala.

A expressão “chupar bala” cabia perfeitamente para a bala soft. Era colocar uma na boca e esquecer das horas. A vantagem era que ela demorava a se decompor.

As crianças daquela época não paravam quietas. Enquanto a “soft” permanecia na boca, a garotada estava correndo, brincando, pulando, falando e gastando os gerúndios necessários até que…Glupt! Na agitação toda, volta e meia a bala escorregava para a garganta e permanecia presa ali. Quem passou pela experiência sabe o real sentido da palavra desespero.

Enquanto estávamos de olhos arregalados e com falta de ar, havia um adulto, sem dó nem piedade, a esmurrar nossas pequenas costas no intuito de que a bala desafogasse a passagem e nos devolvesse o ar.

Não era uma questão que se resolvia em segundos. Destravar uma bala soft, devidamente presa na garganta, era um trabalho hercúleo.

Naqueles segundos, que representavam décadas, aparecia uma tia com um copo de água, uma avó desesperada que andava de um lado para outro deixando a cena ainda mais sinistra, enquanto pai e mãe ou só um deles colocava a mão na massa e, na execução da tarefa, não mediam esforços para nos salvar. Entenda por essa expressão: colocar a criatura de ponta-cabeça, bater no peito de quem estava com a “soft” presa na garganta, chacoalhar a cabeça enquanto a criança, já roxa, jurava nunca mais colocar uma bala daquelas na boca.

Não sei até hoje qual era a providência que continha a sua eficácia, mas chegava um momento em que a bala descia de uma vez, provocando a sensação de ir rasgando tudo por dentro ou era catapultada pela boca a quilômetros de distância nos devolvendo, assim, a capacidade de respirar livremente.

Susto passado, a pirralhada estava de volta às brincadeiras até que um coleguinha dizia que ia ao mercadinho comprar balas. Retornava, adivinhe, com um pacotinho cheio de balas soft. Glupt!

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.