Connect with us

Valmir Gomes

O CLIMA E O GIGANTE

Cheguei a Curitiba em junho de 1962, fazia frio muito frio, garoava e chovia com frequência.

Publicado

em

O CLIMA E O GIGANTE

Cheguei a Curitiba em junho de 1962, fazia frio muito frio, garoava e chovia com frequência. Para terem uma ideia, eu tinha dois pares de galocha, capa de chuva e um guarda-chuva. A cidade era bem menor e tinha segurança, as pessoas andavam a pé a qualquer hora, sem medo de assaltos. A polícia era respeitada por todos. O futebol tinha dono, Ferroviário era o clube modelo, e o clássico era com o Coritiba. Depois o Atlético cresceu, bem, esta é outra história. A cidade era conhecida pela falta de sol e muito frio e chuva. Parece uma cidade da Europa se gabavam alguns. O zagueiro Fedato e o meia Miltinho eram os grandes nomes do Coritiba, um time alemão, os coxas brancas. O tempo passou a cidade se tornou um exemplo de capital no Brasil, o clima ficou ameno e o Coritiba ganhou títulos e projeção internacional. Agora temos clima quente, não temos chuva e o Coritiba é um clube sem lenço nem documento, à procura do tempo perdido. Eleições à vista, hora de pensar no clube, de acordar o gigante adormecido.

TRUMP COM COVID

Deu na mídia internacional, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump e sua esposa Melania contraíram o Coronavírus e estão em quarentena. Em plena campanha para sua reeleição, Trump terá que ficar isolado por ordem médica. Este é o exemplo maior que a Covid-19 é perigoso, basta alguns descuidos e você pode ser um dos infectados. Não subestimem as orientações médicas. Saúde e recuperação a todos.

OS LÍDERES

Na série A, temos Atlético Mineiro, Internacional, São Paulo, Palmeiras, Vasco da Gama e Flamengo, nesta ordem, como os primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. Como notaram, os dois primeiros têm como treinadores dois argentinos. Futebol competitivo. Na série B Cuiabá, Paraná, Ponte Preta, Chapecoense e Juventude são os melhores colocados. Sei que muita água vai rolar debaixo da ponte, porém iniciar uma competição longa e difícil com bons resultados é uma injeção de ânimo para o futuro.

JOGOS DE DOMINGO

A dupla paranaense da primeira divisão terá adversários difíceis neste fim de semana. O Coritiba, em casa, recebe o São Paulo, desclassificado da Libertadores pelo River Plate no meio da semana. Jogo da reabilitação para as duas equipes. O Athletico vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Flamengo, um jogo que está se tornado clássico, pela rivalidade dos últimos tempos. Os dois jogos serão realizados domingo no mesmo horário, às 16 horas.

RICARDO OLIVEIRA

Chegou o avante goleador que os coxas tanto queriam, Ricardo Oliveira disse em alto e bom som na sua apresentação. “Torcedor pode esperar o que sempre fiz, que são gols”. Simples assim, sem rodeios nenhum. Acontece que o Coritiba precisa mudar sua maneira de jogar, tem que pensar também em atacar. Mais do que isto, a bola precisa chegar no Ricardo Oliveira. Esta é uma dúvida. Outra coisa que me intriga, porque Ricardo Oliveira foi dispensado do Santos e do Atlético Mineiro? Hora da resposta em campo.

SÉRGIO SILVA

Nestes tempos de pandemia, ficamos distante de muita gente boa, faz tempo que não converso com muitos amigos. Em Curitiba, soube da doença do Sérgio Silva radialista da maior qualidade deste Estado, sem poder visitá-lo por causa da Covid 19. Ontem, finalmente conversei pessoalmente com o Serginho, foram duas horas de carinho, consideração e aula de vida em todos os sentidos. Boa recuperação e vida longa, meu brother Sérgio Silva.