Connect with us

Pensar Verde

Pequenas atitudes necessárias para hoje

Com a falta de chuvas em nosso estado passamos a perceber que realmente precisamos mudar radicalmente a nossa maneira de utilizar os recursos naturais

Publicado

em

Com a falta de chuvas em nosso estado passamos a perceber que realmente precisamos mudar radicalmente a nossa maneira de utilizar os recursos naturais. Sabendo que os mesmos são finitos, somos obrigados a nos adaptar para que a nossa condição de vida neste planeta não seja agravada futuramente. Infelizmente estamos tendo que aprender pela dor e não pelo amor como diz o ditado popular.

O que fazer? Custa caro? É difícil? Não! Basta boa vontade em muitos casos. Vamos hoje apresentar algumas sugestões de como economizar água entendendo que estas ações impactarão na nossa qualidade de vida. Em 15 minutos de banho em um chuveiro elétrico temos o consumo de 45 litros em casa e 144 litros em apartamento. Em 5 minutos escovando os dentes podemos gastar até 12 litros de água. 30 minutos de lavagem de um veículo podem desperdiçar até 560 litros.

No Brasil, o consumo de água por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia. Este valor supera os 110 litros por dia que são necessários para atender às necessidades de consumo e higiene de acordo com a Organização das Nações Unidas. 12% da água doce disponível no mundo está localizada em nosso país e este número deve ser observado com muita atenção. 83,62% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada, ou seja, ainda temos quase 35 milhões de brasileiros sem o acesso a este serviço básico.

Por mais este motivo precisamos tomar algumas atitudes que contribuam para que, mesmo na falta de chuvas, tenhamos este recurso natural disponível. Tomar um banho rápido, fechar a torneira enquanto escovamos os dentes, reaproveitamos a água da lavagem de roupa para a limpeza de calçadas e veículos e tentarmos de alguma maneira aproveitar a água das calhas dos telhados. Somente economizando é que poderemos contribuir para que não haja racionamento. Logicamente esta contribuição deve ser acompanhada de uma gestão dos recursos hídricos adequada pelo poder público. Vamos em frente!