Connect with us

Pensar Verde

Lições ambientais de 2020 – II

Passamos neste segundo capítulo das lições ambientais de 2020 a falar sobre o nosso país

Publicado

em

Lições ambientais de 2020 - I

Passamos neste segundo capítulo das lições ambientais de 2020 a falar sobre o nosso país. Já devemos iniciar com realismo livre de paixões ou revanchismos. Quem protegeu as florestas brasileiras neste ano foi o agronegócio (polêmica lançada!). Se não fosse a pressão internacional e a ameaça de boicote de nossos produtos pelos europeus será que alguma ação para combater queimadas na Amazônia e no Pantanal seria tomada? Ou o governo agia ou nossos produtos primários não chegariam mais ao mercado do Velho Continente.

Já em 2019 a Amazônia fechou com 89 mil focos de queimadas, 30% a mais que 2018 segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Ainda de acordo com o Instituto o desmatamento atingiu 11.088 km2, maior área registrada nos últimos 12 anos e maior em 9,5% comparado a 2019. Conseguimos a façanha de chegar a 180% acima do teto de desmatamento em 3.925 km2 alinhado pela Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC).

Saindo do bioma Amazônia e chegando ao Pantanal o cenário também causa choque. Passando pela pior seca dos últimos 60 anos, os pantaneiros viram 21.200 focos de queimadas neste ano ante 10.025 em 2019 segundo o Inpe. Mais de ¼ do Bioma já foi queimado. Com a expansão das queimadas vemos com muita clareza que é urgente a reestruturação e fortalecimento das instituições governamentais de controle ambiental.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) carecem de mais profissionais para atuação direta em licenciamento, fiscalização e monitoramento. O investimento nestes três pilares do controle ambiental trará não só benefícios ao meio ambiente mas também ao meio produtivo que poderá ter mais segurança e agilidade na análise de seus processos. Investir em meio ambiente é investir no desenvolvimento do Brasil. Quem 2021 renove a nossa esperança.

Leia também: Lições ambientais de 2020 – I