conecte-se conosco

ADI Paraná

Extramuros

Começou a vacinação contra a gripe no estado do Paraná.

Publicado

em

Adi Paraná
O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, e a secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, apresentam em entrevista coletiva os números e informações sobre os casos em investigação do coronavírus (Covid-19), nesta quinta-feira (12) na Secretaria de Estado da Saúde. 12/03/2020 – Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Começou a vacinação contra a gripe em todo o Paraná. O secretário
Beto Preto (Saúde) recomendou aos prefeitos que neste ano adotem
estratégias diferenciadas, chamada de extramuros, com a instalação
de pontos de vacinação fora das unidades de saúde. “Seguimos as
orientações do Ministério da Saúde e o atual cenário epidemiológico
do Coronavírus”, informa. As prefeituras, em alguns casos, estão
vacinando os idosos casa em casa.

Apostas esportivas

O segmento de canais virtuais de apostas esportivas vê com
otimismo o mercado brasileiro. A lei sancionada em 2018 pelo ex-
presidente Michel Temer (MDB) está em via de aprovação dois anos depois, a arrecadação estimada com esse novo mercado pelo governo chega na casa dos bilhões. Empresas do segmento já começam a fazer investimentos em forma de contratos de patrocínio com o meio esportivo.

Garantia da economia

O prefeito Leonardo Paranhos (PSC) anunciou a criação do Comitê de Apoio e Defesa do Emprego e Empresas em Cascavel. O comitê será responsável por ações de recuperação de renda dos trabalhadores neste período de crise. “Vai funcionar na Secretaria de
Desenvolvimento. Um grupo de profissionais da prefeitura, com Acic, Amic, CDL e OAB vai analisar os reflexos da conjuntura. Vamos dar toda a estrutura, para garantir a economia e produção”, disse.

Forma virtual

A Assembleia Legislativa do Paraná passa a operar de forma virtual.
O 1.º secretário, deputado Romanelli (PSB) reforça que o legislativo
não pode interromper os trabalhos, visto que muitos projetos deverão ser votados no período do enfrentamento da crise causada pelo Coronavírus. “O parlamento não pode parar. Temos matérias importantes para serem votadas. Isso exige que os deputados, que
representam a população, estejam exercendo os mandatos e
transmitindo o desejo dos paranaenses, mesmo que de forma remota”, disse.

Segunda instância

A comissão especial da Câmara dos Deputados, que analisa proposta
sobre a prisão após segunda instância tem audiências públicas por
videoconferência agendadas para esta terça-feira (24) e quarta-feira
(25). Os debates atendem a requerimentos apresentados por diversos
parlamentares que defendem que a comunidade jurídica nacional
contribua para aperfeiçoar a discussão sobre o tema.

Muito estresse

O ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) afirmou que entre abril e
junho o país deverá enfrentar “60 a 90 dias de muito estresse” no
sistema de saúde. O Brasil não tem enfrentado grandes dificuldades
em atender os casos graves do Covid-19. Mas esse quadro deve
mudar em breve, segundo o ministro. O governo tem tentado, às
pressas, aumentar o número de leitos de UTI disponíveis,
especialmente nos estados mais afetados até agora.

Rede privada

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem uma oferta de 55.101
leitos de terapia intensiva, dos quais 27.445 são do SUS, mas 78% do
total de leitos já estão ocupados. O ministério quer otimizar a utilização das unidades ociosas e também pretende recorrer ao uso de leitos não ocupados da rede privada. A OMS recomenda a existência de 1 a 3 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes.

Prorrogação

O Congresso Nacional já avalia o cancelamento das eleições de 4 de
outubro e prorrogar o mandato dos atuais prefeitos e vereadores para mais dois anos. Parlamentares que participam do movimento alegam que a crise do Coronavírus inviabiliza a campanha eleitoral. Se isso acontecer, os prefeitos e outros parlamentares que saem temporariamente do páreo para disputa municipal também continuarão no cargo.

Unificar

Serão R$ 2 bilhões do fundo eleitoral no combate ao novo
Coronavírus, cancelar as eleições municipais deste ano promoveria a
unificação das eleições em 2022, algo debatido há alguns anos em
propostas que tramitam no Congresso com objetivo de economizar
dinheiro. E, claro, evitaria todo o tumulto e os riscos que a pandemia
trará às convenções e campanhas eleitorais.

Frota completa

O prefeito Rafael Greca (DEM) em reunião com o presidente Jair
Bolsonaro e o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) garantiu que Curitiba terá frota completa dos ônibus no período de combate ao Coronavírus. O prefeito também deu uma recomendação para quem for utilizar o transporte público em Curitiba: “Se você ver que o ônibus está cheio, espere o próximo. Não vai ter espera demorada. Vai ter oferta plena, como fazemos todos os dias”, completou.

Penalidades

O governador Ratinho Júnior afirmou que quem não colaborar com as autoridades sanitárias estará descumprindo as regras de para
combater a disseminação do Coronavírus e autorizou as punições
contidas na portaria criada pelo governo federal. São elas, a infração
de determinação do poder público, com pena de um mês a um ano e
multa, e desobediência da ordem legal de funcionário público, com
pena de 15 dias a seis meses e multa. Esta última pena é aumentada
de um terço caso o infrator seja funcionário da saúde pública. Poderá
haver sanção maior caso o crime seja considerado mais grave.

Sem suspensão

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que revogou o trecho da medida
provisória 927 que previa a suspensão dos contratos de trabalho por
quatro meses. A medida tem ações para combater o efeito da
pandemia de Coronavírus sobre a economia. O presidente da
Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), partidos políticos e entidades já
haviam se manifestado contra pontos da MP editada pelo governo e
defenderam aperfeiçoamento do texto.

Como funciona

A medida provisória passa a valer como lei. Em no máximo 120 dias,
precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional, senão perde a
validade. Os outros pontos que não foram revogados pelo presidente seguirão para a análise de deputados e senadores.

Enfrentamento

A Prefeitura de Foz do Iguaçu montou uma estrutura exclusiva para o enfrentamento do Coronavírus. As instalações contam com central
telefônica, setor de triagem, pronto socorro, serviços de coleta e
observação, exames, suporte de reserva e 53 leitos de internação e
mais 17 de UTIs. Quase 300 profissionais vão se revezar nos
plantões. O espaço, montado anexo ao Hospital Municipal receberá os pacientes encaminhados por meio da central telefônica. Nenhum
paciente deve se dirigir ao local sem antes passar pela central que
funciona 24 horas.

Toque de recolher

O prefeito Dr. Kosmos (PV), que é médico, assinou decreto que
determina o toque de recolher após as 22 horas em Palmas, além de
bloqueio sanitários nas entradas da cidade.

Da Redação ADI-PR Curitiba

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

Publicidade






Em alta