conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Segunda dose da vacinação contra a dengue acontece de 3 a 31 de março

Cerca de 62 mil cidadãos receberam a primeira dose no ano passado

Publicado

em

As pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a dengue já podem se preparar para a segunda etapa da vacinação, que acontece de 3 a 31 de março. Desta vez, de acordo com a 1.ª Regional de Saúde, não haverá prorrogação, pois em seguida já está programada para acontecer a imunização contra a gripe.

Os profissionais de saúde de todas as cidades elencadas no Estado para receber as doses passarão por uma capacitação, a fim de estarem mais bem preparados para a segunda fase da campanha. Entre os municípios, somente em Paranaguá e Assaí a vacina é recomendada entre 9 e 44 anos.

A diretora da 1.ª Regional de Saúde, Ilda Nagafuti, declarou que em Paranaguá a capacitação acontece na quarta-feira, 11. “Até o momento estamos com 123 profissionais inscritos, entre médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem. São passadas todas as diretrizes e cuidados com a vacina. Por isso teremos a presença de médicos infectologistas, e a equipe da Sanofi Pasteur, que é quem produz a vacina. Estamos acompanhando toda a validação da vacina, assistida através da Universidade Federal do Paraná, que também participa da capacitação, e as unidades que estão acompanhando a evolução da vacina no Brasil”, contou.

Na primeira dose, foram vacinados mais de 62 mil cidadãos em Paranaguá e, agora, o objetivo é aplicar a segunda dose nessas pessoas, além daquelas que estão dentro da faixa etária, mas não puderam se imunizar no ano passado. “Não vamos ter como prorrogar a vacinação, pois em seguida teremos a campanha da gripe. Vamos também oportunizar para aqueles que não puderam tomar a primeira dose. Vendo esse resultado positivo que estamos alcançando, já que não tivemos nenhum caso grave de reação vacinal, não é preciso ter medo ou dúvidas mais com relação a isso”, frisou Ilda. Como a imunização contra a dengue deve ser realizada a cada seis meses, a terceira dose deve ser aplicada em setembro deste ano.

 

RESULTADOS

O objetivo da vacinação no Estado era diminuir em 92% o número de casos graves. “Neste mesmo período no ano passado, tínhamos mais de cinco mil casos confirmados de dengue e, neste momento, tivemos 34 casos confirmados em Paranaguá e um em Guaratuba, por isso vemos que alcançamos o objetivo”, afirmou Ilda.

 


Quem não tomou a primeira dose poderá iniciar a imunização a partir do dia 3 de março

 

Até o momento, somente a dengue tipo 1 foi diagnosticada no litoral do Paraná, mas para que esse controle continue sendo realizado, as pessoas que apresentarem os sintomas precisam procurar atendimento médico. “Estamos cuidando para coletar exames para ter um diagnóstico real e, por isso, ressaltamos que as pessoas não se automediquem e procurem um serviço de saúde. Até, no máximo, cinco dias após o aparecimento dos sintomas, temos que fazer a coleta de sangue para identificar a positividade do vírus circulante na cidade, porque isso é muito importante”, ressaltou Ilda.

Mas a profissional destacou que somente a vacina não é suficiente para controlar a dengue, é preciso que a população tenha consciência sobre a questão do lixo. “A nossa principal arma de combate ao mosquito, que é nosso inimigo, é a remoção de criadouros. A vacina ajuda, mas temos que desenvolver o hábito de cidade limpa e saudável, só assim poderemos não ter mais uma epidemia como a que tivemos”, disse Ilda.

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress