conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Coordenadora da SESA esclarece sobre casos descartados de Coronavírus no Paraná

Cuidados são adotados para todas as pessoas que estiveram na China nos últimos 15 dias (Foto: Photo/Xinhua)

Publicado

em

Acácia Nassar explica protocolos adotados no Porto e mitos em torno da doença

Durante esta semana, a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde (SESA), Acácia Nassar, concedeu entrevista em que abordou os três casos suspeitos de Coronavírus no Paraná, dois em Curitiba e um em Paranaguá, os quais foram descartados oficialmente na quarta-feira, 29. Apesar disso, segundo a coordenadora, é necessário ficar atento com relação à prevenção e aos protocolos de controle da doença em pessoas vindas de áreas infectadas pelo Coronavírus, algo que ocorre em aeropostos e nos portos de Paranaguá e Antonina, por onde passam vários navios chineses, em virtude da relação comercial entre o Brasil e a China.

"Os casos suspeitos de Coronavírus já foram descartados. Já havia um alinhamento entre Estado e municípios, atenção primária em saúde, enfim, uma rede que funcionou", afirma Acácia Nassar. "Um caso suspeito se caracteriza com a pessoa com febre, sintomas respiratórios como tosse e dificuldade para respirar, e ter nos últimos 15 dias estado em um local de transmissão ativa como a China, ou tido contato direto com uma pessoa suspeita ou com diagnóstico laboratorial da doença. Nesse caso, a pessoa deve procurar imediatamente uma unidade básica de saúde ou a UPA mais próxima da sua residência", complementa.

Portos

Acácia Nassar ainda explica a respeito dos protocolos adotados nos portos paranaenses em torno do controle do Coronavírus em tripulantes advindos da China e países com casos da doença. "No caso de portos e aeroportos quem realiza esta supervisão e acompanhamento é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas o Estado do Paraná já fez uma reunião de alinhamento, na qual nos informaram todos os procedimentos de segurança que são tomados e as medidas de sensibilização que estão realizando neste momento", afirma a gestora da SESA.

"Foi feito um plano de contingente envolvendo todas as ações para prevenção e resposta a uma possível entrada de caso de Coronavírus no Estado. Foi feito um alinhamento com a Portos do Paraná e a Anvisa, que é responsável pelos portos e aeroportos. Estamos fazendo notas técnicas aos profissionais de saúde, fluxograma de orientação, disponibilizando os informes técnicos do Ministério da Saúde (MS) com orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS)", acrescenta.

Sem motivo para pânico

É necessário ficar atento com relação à prevenção e aos protocolos de controle da doença em pessoas vindas de áreas infectadas pelo Coronavírus (Foto: Photo/Xinhua)

"Não há risco para pânico neste momento. Noventa e oito por cento dos casos estão concentrados na China, mas sabemos que com a globalização as pessoas viajam a passeio ou a negócio e nós temos que estar em alerta para nos prevenir contra a infecção pelo Coronavírus", afirma a coordenadora da pasta estadual de Saúde.

Dúvidas

Caso a pessoa tenha passado pela China há pelo menos 15 dias e apresente os sintomas do Coronavírus, ou tenha tido contato com alguém que tenha viajado ao País em questão e tenha quadro clínico da doença, é necessário procurar as autoridades de saúde. "Qualquer dúvida procurar a unidade básica de saúde mais próxima para uma avaliação e orientação", explica Acácia.

Cuidados individuais

"É importante que as pessoas lembrem os cuidados individuais. Evitar ficar próximas a pessoas que tenham infecção respiratória, procurar manter os ambientes bem ventilados, se estiver doente não ficar em ambientes aglomerados. É essencial observar a higiene respiratória, usar sempre lenço ao tossir e respirar, cobrir a boca com a dobra do braço, lavar as mãos sempre que for se alimentar, em contato com o meio ambiente ou pessoa doente", finaliza a coordenadora da SESA.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta