Logotipo

Casos de dengue aumentam em 120% no litoral do Paraná

11 de julho de 2019

Matinhos (138) é o município com mais casos de Dengue e está em epidemia. Paranaguá (48), Guaratuba (15), Guaraqueçaba (2), Antonina (1) e Pontal do Paraná (1) também contabilizaram casos da doença (Foto: EBC)

Compartilhe

Matinhos passa a estar em epidemia de dengue com 138 casos confirmados

Na terça-feira, 10, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), através da Superintendência de Vigilância em Saúde, divulgou o Informe Técnico 41/2019, abordando o boletim da situação da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus no Paraná. Na análise técnica, a Sesa divulgou que os casos confirmados de Dengue no litoral saltaram de 93, registrados no dia 29 de junho, para 205, número contabilizado até o dia 6 de julho, algo que representa um aumento de 120% de casos confirmados da doença na região.

Segundo o boletim, o município com mais casos da doença é Matinhos, com 138 contabilizados, número que era de 80 casos no último boletim, algo que coloca o município como o único da região com alerta de epidemia de Dengue pelo Ministério da Saúde (MS). O segundo do ranking é Paranaguá, com 48 casos confirmados nesta semana, número que anteriormente era de seis casos, o que representa um aumento percentual de 700%. Dos casos contabilizados, 20 e 21 foram importados respectivamente em Matinhos e Paranaguá, ou seja, foram ocorrências da doença contraídas em outros municípios do Paraná.

Guaratuba, que anteriormente tinha sete casos, nessa semana está com 15 contabilizados, quatro deles importados. Guaraqueçaba (2 casos), Antonina (1) e Pontal do Paraná (1) já registraram oficialmente casos de Dengue no último boletim, sendo que anteriormente não contabilizavam a doença. Morretes não apresenta casos. Além disso, assim como na última semana, o informe técnico registrou um caso de Chikungunya em Matinhos.

PARANAGUÁ

Assim como na última semana, o boletim da Sesa destaca que Paranaguá segue como único município do litoral com infestação alta do Aedes Aegypti, com alta disseminação e manutenção do vetor nos domicílios da população parnanguara do mosquito transmissor da doença. Outra análise é em torno do levantamento entomológico, abrangendo a proliferação dos mosquitos na residência e o desenvolvimento possível da doença, onde Paranaguá e Antonina estão com risco de epidemia alta de Dengue no litoral paranaense.

PARANÁ

82,5% dos municípios do Paraná estão com infestação alta do Aedes Aegypti devido à disseminação e manutenção do vetor nas casas da população (Foto: AEN)

Segundo o boletim divulgado pela Sesa, o Paraná registra 18.780 casos de Dengue desde agosto de 2018. "São 1.004 casos a mais que a semana anterior, que apontava 17.776 confirmações. Segundo o boletim, o número de municípios em epidemia também aumentou, de 81 para 88. As sete cidades que passaram a constar desta relação são Matinhos, Serranópolis do Iguaçu, Cidade do Iguaçu, São Manoel do Paraná, Terra Rica, Nova América da Colina e Sertaneja", explica a Sesa.  Ao todo, 21 mortes decorrentes da doença foram registradas neste período.

“É fundamental a participação da população no combate ao mosquito transmissor da dengue”, afirma a coordenadora da Divisão de Vigilância Ambiental da Secretaria, Ivana Belmonte, abordando à necessidade de eliminação dos criadouros do mosquito em quintais e residências no Paraná. 

"Pesquisa vetorial feita entre abril e junho deste ano mostra que 329 municípios paranaenses são considerados infestados, ou seja, 82,5% apresentam disseminação e manutenção de vetor nos domicílios. O Índice de Infestação Predial (IIP) confirma que 77,5% dos imóveis pesquisados apresentaram criadouros e focos do mosquito passíveis de remoção como recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas, entulhos de construção, pneus, vasos de plantas, bebedouros e recipientes para degelo de geladeiras", informa o Governo do Estado, por meio da Sesa, destacando a importância do combate à proliferação do mosquito.

Colunistas