Connect with us

Ciência e Saúde

Atenção com focos do Aedes precisa ser redobrada

Gavetas das geladeiras podem ser criadouros do mosquito

Publicado

em

Paranaguá já não é considerada mais uma cidade em nível de epidemia de dengue. A mudança climática com temperaturas mais baixas foi um dos motivos a propiciar esta queda no número de casos. Mas, semanalmente, muitos ainda são notificados e confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA).

Sendo assim, os cuidados para eliminação dos focos do mosquito Aedes Aegypti precisam ser intensificados para que uma nova epidemia não se alastre novamente pela cidade e resulte em mais óbitos, além dos 29 já registrados.

Durante as duas últimas semanas, foi realizada uma capacitação com os agentes de endemias e agentes comunitários de saúde para que consigam agir de forma mais técnica e com mais informações para atuar junto às residências. O técnico do Núcleo de Vigilância Entomológica da Secretaria de Estado de Saúde, Ademilson Constâncio de Lima, tem acompanhado e orientado o trabalho dos agentes de endemias no município. “Devido ao inverno ter baixado a temperatura, a população está se descuidando do interior de suas casas”, afirmou.

GAVETAS DAS GELADEIRAS

O que de mais grave os agentes têm observado dentro das residências é a falta de atenção com aqueles compartimentos presentes atrás de geladeiras de modelos mais novos. Com isso, o ciclo do mosquito é mantido mesmo no inverno.

 

 

Esse tipo de descuido tem sido observado com frequência e é preciso olhar o compartimento ao menos uma vez por semana, como explicou o técnico do Núcleo de Vigilância Entomológica. “É preciso manter sempre o monitoramento. O ideal seria uma vez por semana olhar a gaveta. Se tiver água é preciso retirá-la com uma esponja para mantê-la seca”, orientou Lima.

DESCUIDO

Os cuidados devem ser intensificados no inverno, pois os criadouros continuam sendo encontrados. Além do perigo que a gaveta da geladeira apresenta para a saúde pública, ainda existem aqueles que não mudaram o comportamento de jogar lixo nas ruas e os que acumulam entulhos nos quintais.

“O ideal é fazer a destinação correta desse lixo, colocar para o lixeiro levar para dar destino a essas embalagens”, explicou Lima.

Continuar lendo