conecte-se conosco

Cidadania

Voto consciente: um exercício de cidadania

Juíza Eleitoral fala sobre a importância do voto para a mudança da realidade do País

Publicado

em

Neste ano, os brasileiros vão às urnas eleger o novo presidente da república, assim como deputados federais e estaduais ou distritais, governadores e dois terços do Senado Federal. Apesar do descontentamento de muitos com o cenário político, a recomendação principal é para que os eleitores se motivem a votar de forma consciente para, assim, poder mudar a realidade do País.

As eleições serão realizadas no dia 7 de outubro, em primeiro turno, e no dia 28 de outubro, nos casos de segundo turno. O calendário eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estipula a data de 18 de junho para divulgar os recursos disponíveis no Fundo Especial de Financiamento de Campanha. A propaganda intrapartidária estará liberada a partir do dia 5 de julho, mas está proibido o uso de rádio, televisão ou outdoor.

A juíza eleitoral de Paranaguá, Pamela Dalle Grave Flores, lembrou que este é o momento ideal para que os eleitores depositem nas urnas os candidatos que mais representem a vontade por mudança. “Não adianta a gente sair na rua, brigar, falar que as coisas estão erradas, fazer postagens na rede social, se a gente não votar consciente, ou continuar votando na forma como está. Não adianta também nem votar em branco ou nulo”, destacou.

De acordo com a juíza, os eleitores não devem votar com base em pesquisas e sim pelas propostas e pelo que o candidato já realizou na vida política. “A propaganda eleitoral na TV e na rádio é tudo muito parecido. É preciso pesquisar os projetos, o que os candidatos fizeram quando estavam no mandato, o que deixaram de fazer. No caso de um candidato novo, verificar o que ele está propondo a fazer e como vai fazer isso. O eleitor pode fazer isso na Internet, hoje as informações estão fáceis. Tem que pesquisar se o candidato teve alguma condenação criminal ou por improbidade administrativa, temos que pesquisar porque essa é a nossa vivência social para poder eleger aqueles que vão decidir o nosso futuro”, orientou a juíza Pamela.

PÚBLICO JOVEM

A participação do público jovem, de 16 a 18 anos, nas eleições tem caído nos últimos períodos eleitorais. “O voto nessa faixa etária não é obrigatório, eles estão deixando de se alistar. Eles têm um peso muito grande e estão deixando de votar como qualquer cidadão, o peso é um para um. Os jovens podem realmente definir uma eleição, por isso são extremamente importantes”, finalizou a juíza.

CAMPANHA ELEITORAL

A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão terá início em 31 de agosto (37 dias antes das eleições) e término no dia 4 de outubro. O período foi reduzido de 45 para 35 dias. Os debates no rádio e na televisão só poderão ser realizados até 4 de outubro, admitida a extensão do debate cuja transmissão se inicie nesta data e se estenda até as 7 horas do dia 5.

No dia 4 também termina a propaganda política mediante reuniões públicas ou promoção de comícios, com exceção dos que forem encerramento de campanha, que poderão ser prorrogados por mais duas horas.

Continuar lendo
Publicidade

Em alta