conecte-se conosco

Cidadania

RG com mais de dez anos precisa ser substituído

Cidadão deve agendar o atendimento pela internet

Publicado

em

A lei brasileira não estipula data de validade para o documento de identidade. Mas, o indicado é que o mesmo seja substituído a cada dez anos, para evitar problemas em instituições bancárias, cartórios ou em viagens. O Instituto de Identificação do Paraná produz mais de 2 mil carteiras de identidades ao dia, sendo mais de 50 mil ao mês, totalizando 600 mil ao ano em todo o Estado.

Para conseguir a segunda via do RG em Paranaguá, os moradores precisam agendar o atendimento via Internet e comparecer no horário e data agendados na sede da 3.ª Ciretran de Paranaguá, no mesmo prédio do Detran, localizado na Rua Domingos Peneda, s/n.º, Vila São Vicente. O horário de atendimento é das 8h às 14h, somente para quem agendou o serviço.

 

QUANDO TIRAR A SEGUNDA VIA?

O que geralmente leva as pessoas a procurarem a segunda via é a perda, roubo ou pela exigência em cartórios ou bancos. Mas, segundo o Instituto de Identificação do Paraná, é preciso procurar pela substituição também se for fazer uma viagem internacional, se o documento estiver danificado, se a pessoa teve alteração no nome, teve mudança na aparência ou se for aposentado pelo Paraná Previdência.

Em países do Mercosul, é estabelecido que a carteira de identidade pode ser aceita no lugar do passaporte. Mas, para isso é preciso que não tenha mais que dez anos de emissão. Se a carteira tiver tido contato com água, fogo e sujeira, que podem ofuscar dados, também é indicada a troca. A segunda via é indicada também no caso de casamentos ou reconhecimentos de paternidade, ocasiões em que pode haver alteração no nome.

Fotos antigas também podem comprometer a carteira de identidade. O que é muito comum de acontecer é o cidadão permanecer com o mesmo documento desde criança, o que prejudica o reconhecimento.

Segundo a moradora na Vila Marinho, Priscila dos Santos Alves, que esteve no Instituto de Identificação de Paranaguá para fazer a primeira via do RG de seu filho, essas informações não chegam com facilidade aos cidadãos. “Já tenho meu RG há 12 anos e o que faço é tentar assinar da mesma forma para evitar problemas. Essa informação de que é preciso trocar nunca chegou até mim. Mas isso porque nunca tive prejuízos”, lembrou Priscila.

A moradora do Parque Agari, Josiane de Oliveira Correia de Deus, relatou que há pouco tempo se deparou com uma situação, até então, inusitada para ela. “Fui fazer reconhecimento de assinatura no cartório e recusaram a fazer porque disseram que meu RG não tem validade. Não aceitaram e disseram que eu precisaria voltar com o documento atualizado”, contou.

Segundo ela, o documento tem mais de 20 anos, mas não imaginava que isso poderia algum dia lhe trazer algum problema. “Nunca ouvi falar que precisasse trocar o RG, essa foi a primeira vez que ocorreu isso”, afirmou.

 

NOVIDADE

Desde o fim do mês passado, os cidadãos de Curitiba e Cascavel já começaram a aproveitar uma novidade que facilita a emissão do documento. Todo o processo em alguns municípios pode ser feito pela Internet, após a confirmação do pagamento de uma taxa de R$ 26,63 e a segunda via é enviada ao posto escolhido pelo solicitante em três dias úteis para a capital e até sete dias para as cidades do interior. Paranaguá é o único município do litoral incluso no projeto. Para isso, é preciso que o cidadão tenha feito o documento de identidade no Paraná nos últimos três anos (o próprio sistema confirmará se o usuário está apto ou não para utilizar o serviço).

Publicidade






Em alta

plugins premium WordPress