conecte-se conosco

Aniversário de Paranaguá

A fé inabalável a Nossa Senhora do Rocio

Nilande relata graças atribuídas à intercessão da Padroeira do Paraná

Publicado

em

Nossa Senhora do Rocio é a Padroeira do Estado do Paraná, mas muitos parnanguaras se veem privilegiados por contarem com o Santuário Estadual da Mãe do Paraná em Paranaguá e retratam sua fé, contam suas graças e relatam suas experiências religiosas com a santa. Este é o caso do parnanguara Nilande Ribeiro Filho. O professor garante que é devoto de Nossa Senhora do Rocio desde seu nascimento. “Quando eu estava para nascer, no momento do parto tanto eu como minha mãe corríamos risco de morte. Naquele momento minha mãe invocou Nossa Senhora do Rocio pedindo para nos guardar e prometendo que se saíssemos com vida ela agradeceria à santa, através de uma missa. Graças a Deus o parto foi bem-sucedido e ela cumpriu a promessa”, contou o devoto, salientando a importância da santa em sua vida desde o nascimento.

A família de Nilande sempre residiu no bairro Rocio, onde é também situado o Santuário da Padroeira do Paraná. “A minha família é radicada no Rocio desde 1938. Os meus avós maternos, de origem italiana, residiam no local chamado Casa dos Romeiros, onde hoje está localizado o Salão Social, e eram zeladores no Santuário. Eles cuidaram do Santuário durante cerca de 30 anos”, contou. A avó de Nilande era zeladora no local e o avô era funcionário em uma empresa próxima ao Rocio e nas folgas atendia aos pedidos dos devotos. “As pessoas encomendavam velas em agradecimento às graças recebidas. Nos fundos, meu avô tinha uma fabriqueta de vela artesanal onde ele colocava o pavio da vela nos tambores fervendo com a cera e ele tirava a vela de acordo com a altura pedida pelo devoto”, lembrou. “Minha família já convivia com Nossa Senhora do Rocio muito antes do meu nascimento”, observou.

Com o passar dos anos, o avô adquiriu o terreno, ainda próximo ao Santuário, onde Nilande reside até hoje. “No Santuário faço parte da Pastoral do Turismo Religioso, sou ministro da Eucaristia, faço parte da Liturgia, da Pastoral dos Guardiões e agora também da Comissão para trabalhar juntamente com o Iphan para o tombamento da Festa do Rocio como Patrimônio Imaterial”, detalhou.

As graças atribuídas à intercessão de Nossa Senhora do Rocio na vida de Nilande, de acordo com ele, não pararam no parto. “Agradeço a Deus a intercessão de Nossa Senhora do Rocio também em outro momento da minha vida. Em 2015 tive um problema cardíaco e passei por uma cirurgia delicada e difícil, pois tenho problema crônico de asma e bronquite. Quando o cardiologista me disse que teria que passar pela cirurgia, coloquei nas mãos de Deus e de Nossa Senhora. A cirurgia foi bem-sucedida e só tenho a agradecer a intercessão de Nossa Senhora do Rocio”, salientou Nilande, o qual colocou duas pontes de safena. Em janeiro de 2016, outra provação de sua fé. Quatro meses após a cirurgia, o devoto foi acometido pela dengue e recorreu à santa novamente.

 


Nilande: “Vejo que o catolicismo no território paranaense, através da devoção a Nossa Senhora do Rocio, iniciou aqui, na cidade Mãe do Paraná”

 

Para ele, os parnanguaras são privilegiados por contarem com o Santuário do Rocio na cidade. “A devoção de Nossa Senhora do Rocio é muito forte e importante. Vejo que o catolicismo no território paranaense através da devoção a Nossa Senhora do Rocio iniciou aqui, na cidade Mãe do Paraná”, avaliou.

A DEVOÇÃO

A devoção a Nossa Senhora do Rocio teve início no século XVII, logo após a elevação do pelourinho em Paranaguá, em 1648. Quando, em 1686, os habitantes desta Vila, às margens de sua baía, foram assolados por uma peste, essa gente recorreu aos favores de Maria, Mãe de Jesus, invocada neste título, para que os livrasse desta terrível lamúria. Desde aí, Nossa Senhora do Rocio vem sendo o socorro das aflições dos devotos cristãos paranaenses. Rocio era o perímetro das Vilas, onde terminava a povoação, o arruamento, e começava a se condensar orvalho matutino. Rocio quer dizer orvalho, em português arcaico. Nossa Senhora do Rocio é Nossa Senhora do Orvalho Matutino, Nossa Senhora do Amanhecer. A imagem da Virgem do Rocio foi encontrada em uma pesca milagrosa, nas redes do Pai Berê, no século XVII, na baía de Paranaguá. A primeira igreja foi edificada em 1813 e o Santuário em 1920.

Devido aos muitos milagres e graças alcançadas por intercessão, a devoção se espalhou entre o povo do Paraná e de diversos lugares as multidões faziam romarias ao Santuário da Virgem do Rocio. Assim, em 1977, o Papa Paulo VI declarou para a eternidade Nossa Senhora do Rocio como a Padroeira do Paraná.
Está crescendo, a cada dia que passa, a devoção à Virgem e Mãe do Rocio e, consequentemente, seu Santuário, em Paranaguá, está sendo cada vez mais visitado pelos devotos e turistas.

 

Publicidade






Em alta