Logotipo

Valmir Gomes

O SILÊNCIO EM SINAL DE RESPEITO

02 de fevereiro de 2019

O Rio Branco não ganha uma e o Valmir anda quieto! Verdade, o nosso querido Leão da Estradinha, em 4 jogos, empatou um e perdeu três, mesmo assim não recebeu nenhuma crítica do colunista. Parece que o time está liderando, quando na verdade está na lanterna, correndo risco de ser rebaixado. Para ser franco com vocês, não posso criticar um time que só vi uma vez jogar, foi a derrota contra o Atlhetico. Não é novidade para ninguém, nos últimos anos, o Rio Branco vive uma crise administrativa e financeira, situação igual a muitos clubes do Brasil. Certo ou errado, alguns abnegados tentam salvar o Leão da Estradinha todo ano. Como o calendário é curto e na maioria das vezes, seja pelo motivo que for, os dirigentes não têm apoio da sociedade local, fica difícil formar uma equipe de qualidade. Tenho por norma apoiar o prefeito de Paranaguá e o presidente do Rio Branco, porque gosto da cidade e do clube e sei das dificuldades dos respectivos cargos. A cidade está bem dirigida, com projetos modernos e importantes em todas as áreas. O clube tem um gestor com boas ideias, no entanto carece de tempo e dinheiro para executá-las. Não é tarefa fácil montar um time para jogar 60 dias, em um torneio curto, tendo que administrar dívidas do passado. Por isso meu silêncio respeitoso.

 

UMA IDEIA SOBRE SEGURANÇA

Tenho evitado assistir aos noticiários da TV, só tem notícia ruim e mortes em Brumadinho o que nos causa um baixo astral. Mesmo assim cada vez que vejo ou leio sobre o ocorrido com a Mineradora Vale fico perplexo. Deu no jornal, as multas e as indenizações de Mariana ainda não foram pagas! E as tragédias continuam, em nome do capitalismo, do máximo lucro em cima do menor custo. Mesmo que no menor custo, os funcionários e moradores na região, corram risco de morte e destruição dos seus pequenos patrimônios. Passou uma ideia pela minha cabeça, quem sabe o presidente da Vale com sua diretoria e os engenheiros especializados em segurança de barragens, mais os grandes acionistas, fossem morar com suas famílias próximos às barragens. Imagino que os funcionários e o povo da região teriam mais segurança.

 

O CLÁSSICO

Foi-se o tempo que o Atletiba parava a cidade de Curitiba. Dia destes sob muita confusão administrativa, o nosso velho clássico acabou sendo realizado na calada da noite, com pouco público e derrota do Atlhetico. O jogo foi regular tecnicamente, a torcida do Coritiba não pôde entrar na Arena. Jesus, o menino juvenil dos coxas, foi o craque. Saudades do velho clássico.

 

NÃO ESQUEÇAM DOMINGO NA ESTRADINHA

Domingo às 17 horas, Rio Branco X Operário na histórica Estradinha, o Leão em busca da primeira vitória vai enfrentar o time mais organizado da competição. Apesar de perder a invencibilidade na Vila Oficina, o Operário é, sem dúvidas, um concorrente ao título Estadual. Tem técnico competente e boa equipe. O Rio Branco terá que fazer uma partida de superação, para vencer, para isto conta com o apoio da sua grande torcida.

 

Fotos

Compartilhe