Connect with us

Caos Ferroviário

População reivindica melhorias na região das linhas férreas

Mobilização aconteceu no trilho da Roque Vernalha

Publicado

em

Na sexta-feira, 6, ao meio-dia, dezenas de moradores em Paranaguá e membros de grupos de mobilização nas redes sociais estiveram presentes na Avenida Roque Vernalha, no trilho localizado na via, protestando por melhores condições de mobilidade urbana, sinalização e respeito aos cidadãos por parte da empresa Rumo ALL e de autoridades públicas. Na oportunidade, a Justiça Estadual, a Polícia Militar do Paraná (PMPR), Guarda Civil Municipal (GCM) e Operações Ferroviárias estiveram presentes para garantir a segurança dos cidadãos e tráfego do trem e veículos sem interrupção, seguindo o que determina legislação federal.
Uma pauta de reivindicações foi encaminhada à empresa Rumo ALL, autoridades federais, estaduais e municipais, em que os cidadãos solicitaram cancelas nos trilhos das avenidas Roque Vernalha e Coronel Santa Rita e em Alexandra, assim como áreas de abrigo aos munícipes nestes locais, bem como que o trem reduza a intensidade do volume do seu apito às 22h. 

“Queremos deixar bem claro que o movimento é de iniciativa popular, sem envolvimento político, daqueles que são prejudicados pelo trem. Eu vivo no Bockmann e minha família reside na Serraria do Rocha, vivemos diariamente este problema. Seria bem simples se a empresa restringisse a passagem de trem nos horários de pico. Paranaguá está precisando de mobilização deste jeito, vindo para a rua para reivindicar de verdade”, afirma Luciano Costa, um dos integrantes da mobilização que começou nas redes sociais e foi para a rua. 

 


Confira outras reportagens

Manobras da RUMO ALL causam transtornos para população de Paranaguá

Rumo afirma que lei sobre os horários de uso da linha férrea não poderá ser aplicada

Alunos da Escola Berta Elias são prejudicados por manobra de trem


O oficial de Justiça, Gerson Ernesto dos Santos, destacou que a mobilização foi pacífica e respeitou ordem judicial para garantia do tráfego ferroviário e viário na Avenida Roque Vernalha. “A princípio chegou uma ação afirmando que seria interditada a via, em que a Justiça acatou e ajuizou uma ordem judicial garantindo o direito de ir e vir dos cidadãos. Viemos aqui e dialogamos com os manifestantes, respeitando o direito de mobilização deles”, comenta.

 

“Eles nos receberam com todo o respeito, garantiram que iriam respeitar o direito de ir e vir e se mobilizaram durante uma hora sem nenhum transtorno e de forma pacífica. Além disso, a intenção foi garantir a segurança dos manifestantes, impedindo que eles fiquem em cima do trilho ou da pista com risco de atropelamentos e acidentes”, explica o oficial de Justiça.
 

 

MORADORES APROVAM MOBILIZAÇÃO

Segundo Neto Lourenço, movimentador de mercadorias, morador no Jardim Araçá, o protesto é justo e válido, visto que ele e milhares de pessoas são afetadas diariamente pelo tráfego de trens em Paranaguá.

“O incrível é percebermos que no próprio vagão está escrito que a empresa nunca para. Por isso fica o alerta à população para que venha para cá, exigindo não só estas melhorias pedidas nas pautas, como também viadutos e rebaixamento do trilho de trem”, completa.

A professora Rosana Elias, moradora do Bockmann, sofreu um acidente de moto em agosto na Avenida Ayrton Senna, que estava com fertilizante na pista, se salvando por pouco de ser atropelada por um caminhão. Ela destacou a necessidade não só de mudanças no tráfego de trens, como também da limpeza dos trilhos e das vias de Paranaguá. “Os trens que passam nos horários de pico atrapalham muito a população, inclusive atrasando alguns dos meus alunos na sala de aula. A maior reclamação que eu tenho é da ausência de limpeza nos trilhos e vias, com excesso de fertilizante, de soja, que causam acidentes e perdas de muitas vidas. Pedimos também uma melhor sinalização”, finaliza. 

 

RUMO ALL

Em agosto, em resposta à Folha do Litoral News sobre a mesma problemática exposta pelos moradores no protesto, a assessoria de imprensa da concessionária Rumo ALL informou que suas operações seguem todas as normas vigentes e procura causar o menor impacto possível à população.
Quanto aos horários de tráfego de trens, a concessionária ressaltou que é preciso considerar que toda ferrovia de carga funciona 24 horas por dia.

“Desta forma, é importante destacar que os horários de circulação dos trens dependem das operações de carregamento e descarregamento entre outros fatores”, acrescentou em nota a assessoria.

Com relação à segurança ferroviária dos munícipes, a Rumo ALL considerou que realiza campanhas com o objetivo de divulgar, sensibilizar e conscientizar a população sobre os cuidados que devem ser tomados em relação à linha férrea. As ações contam com palestras, blitze educativas em passagens em nível (cruzamentos de ruas com a linha férrea), distribuição de materiais informativos e momentos de confraternização com a comunidade.

Continuar lendo