conecte-se conosco

Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá

NOSSA SENHORA DO ROCIO

Com diversos milagres atribuídos à santa, o fato foi ganhando conhecimento e logo foi construída uma igreja para acolher seus seguidores.

Publicado

em

A devoção a Nossa Senhora do Rocio, segundo o historiador Antônio Vieira dos Santos, começou quando um grupo de pescadores, entre eles o “Pai Berê”, encontrou uma Santa que ficou engatada nas redes em 1686, justamente quando Paranaguá sofria uma epidemia conhecida por “peste da bicha” e também por “peste grande”. Essa peste, segundo Waldomiro Ferreira de Freitas, vitimava famílias inteiras em poucos dias. Os moradores, então, se reuniam para rezar em uma modesta casa, perto de onde foi encontrada a santa e, assim, ela ganhou inúmeros devotos.

Com diversos milagres atribuídos à santa, o fato foi ganhando conhecimento e logo foi construída uma igreja para acolher seus seguidores. Somente em 1902 foi lançada a pedra fundamental onde foi erigido o atual Santuário. Ao lado da Igreja foi construída a Sala dos Milagres, onde as pessoas que foram curadas pela intercessão da Nossa Senhora do Rocio deixavam suas bengalas, muletas, óculos, cadeiras de rodas e outros objetos como forma de agradecimento pelas curas obtidas.

Mais tarde foi construída no bairro do Rocio uma Escola Paroquial e restaurantes de fama internacional, como o Zattar e o Abud. Atualmente, o bairro não é apenas residencial, devido ao avanço industrial e portuário, o que levou muitas famílias a se mudarem.

Com a construção da Praça da Fé em 1999, aumentou ainda mais a Festa de Nossa Senhora do Rocio, comemorada no dia 15 de novembro, considerado o terceiro maior evento religioso do Brasil, ficando atrás apenas da Festa de Nossa Senhora Aparecida, realizada em cidade paulista do mesmo nome, e do Círio de Nazaré, em Belém do Pará.

Antigamente a Festa do Rocio era apenas uma festa das famílias de Paranaguá e depois de todo o litoral, agora é uma festa das famílias do Brasil inteiro. Era um local de encontro de amigos, agora observamos rostos desconhecidos na multidão, porém, sabemos que são corações mergulhados na mesma fé.

Continuam em nossa lembrança o tempo da maçã do amor e do “chama-namoro”.

Esperamos que haja muita gente este ano para comemorar os 322 anos de devoção à nossa querida e amada Nossa Senhora do Rosário do Rocio, não importa de onde são essas pessoas, pois a fé não tem limites geográficos. Nossa Senhora do Rosário do Rocio, rogai por nós!

Luiz Cezar Rodrigues

Diretor do IHGP                     

Continuar lendo
Publicidade