Connect with us

Gastronomia

Procura pela tainha ainda é baixa neste início de inverno

Permissionários estimam que Mercado do Peixe vendeu cerca de quatro toneladas de tainha neste primeiro mês de pesca liberada do pescado

Publicado

em

Permissionários do Mercado do Peixe estimam que festas de inverno devem aumentar a venda do pescado

A tainha é um dos peixes mais procurados no litoral e, em Paranaguá, principalmente no período de inverno, quando a venda do pescado é permitida pela legislação ambiental. Por outro lado, segundo os permissionários do Mercado do Peixe em Paranaguá, apesar da pesca da tainha estar liberada desde o início de maio, a procura pelo peixe está sendo baixa até o momento no litoral. Os comerciantes afirmam que o início da 8.ª Festa Nacional da Tainha, no dia 28, e a chegada de outras festividades de inverno em Paranaguá devem aquecer a comercialização e aumentar a procura pelo pescado nos boxes do mercado. O quilo do peixe gira em torno de R$ 15,00 para o produto com ova e R$ 10,00 para a tainha sem ova.

Aroldo Lima Pinheiro, permissionário do box 3, ressalta que a procura pela tainha "está devagar". "Pouca venda. A safra da tainha sempre tem procura legal no inverno, mas está fraco neste ano. A expectativa é que melhore para os comerciantes, com a chegada da Festa da Tainha que tem um aumento na procura", destaca, ressaltando que vendeu neste mês de liberação cerca de 300 kg de tainha, enquanto em anos anteriores a venda chegou a ser de uma tonelada no mesmo período. "Que melhore para nós todos", acrescenta. Pinheiro estima que todo o mercado vendeu cerca de quatro toneladas de tainha durante maio e início de junho.

"Por enquanto está devagar a procura, mas a esperança é que na Festa da Tainha ela seja mais procurada", afirma Claudio Guimarães, permissionário do box 10. Segundo ele, o parnanguara e os moradores no litoral gostam muito de apreciar o pescado assado, frito ou cozido. Segundo ele, o seu estande vendeu cerca de 500 kg no último mês. "É um produto de qualidade que vem do litoral do Paraná e de Santa Catarina. As tainhas são frescas, gordas e com ova", completa.

Apesar da análise de vendas baixas, Giovani Pons, comerciante do box 11 do Mercado do Peixe, ressalta que até o momento em 2018 a procura pela tainha está boa, mas mesmo assim, menor do que em anos anteriores. "Ultimamente se procura muita tainha no mercado, até mais do que camarão. Entretanto em 2018 está sendo uma procura menor que em outros anos. A reprodução também foi menor do peixe, ano passado deu muito mais pesca da tainha do que este ano", destaca, ressaltando que o preço cobrado continua o mesmo do que de 2017. Segundo ele, em seu box foram vendidos cerca de 1000 quilos no último mês. "A venda de tainha tende a melhorar com as festas, como o Mercado do Peixe fica do lado da festa, a pessoa aproveita para levar para casa", completa.

Permissionário Aroldo Pinheiro afirma que chegada da Festa da Tainha deve aumentar procura

Claudio Guimarães ressalta que pescado é fresco e de qualidade, vindo do litoral do Paraná e de Santa Catarina

Giovani Pons afirma que procura está alta em seu box, que vendeu uma tonelada do pescado, mas abaixo do que ocorria em anos anteriores

Continuar lendo