Connect with us

Esportes

Policial militar conversa sobre resistência às drogas e à violência com crianças graduandas em Jiu-Jítsu em Morretes

Destacado pelo comando da 4.ª Companhia do 9.º Batalhão de Polícia Militar, o soldado Marcy esteve presente e de forma lúdica explicou aos atletas mirins a importância em dizer não às drogas.

Publicado

em

Na noite de quinta-feira, 12, ocorreu a graduação de 17 alunos infantis da Escola de Jiu-Jítsu Brasileiro DODO JJ, em Morretes que solicitou a presença de um policial militar para que pudesse conversar com as crianças sobre o perigo das drogas e a violência.

Destacado pelo comando da 4.ª Companhia do 9.º Batalhão de Polícia Militar, o soldado Marcy esteve presente e de forma lúdica explicou aos atletas mirins a importância em dizer não às drogas, prevenindo-os quanto a possíveis assédios de estranhos. Também salientou a importância da prática esportiva e da disciplina ensinada na arte suave, enaltecendo que o aprendizado do tatame deve ser levado para casa, escola e em toda a relação, sempre respeitando a todos.

Ainda agradeceu e parabenizou o mestre Douglas Zarimniak pelo trabalho com as crianças, pois algumas delas participam de forma gratuita graças à iniciativa do Mestre Dodô em transformar seu amor pelo jiu-jitsu em um projeto de inclusão social.

A escola atende nas dependências da Associação Nipo-Brasileira de Morretes, e teve o projeto implantado na gestão do atual presidente Edio Takashi Yasuda.

"Agradeço a confiança do pais depositada em nosso trabalho, aos nossos colaboradores Antonio Pulsides Junior, Eduardo Sundin e Evangelino da Costa Neves Neto, praticantes da arte suave que nos auxiliam voluntariamente no projeto, ano que vem abriremos mais vagas. Investir no Jiu-Jítsu na vida das crianças é importante em várias áreas, saúde, disciplina, socialização e respeito", comentou o Mestre Dodô.

Na turma infantil participam crianças dos 6 aos 12 anos, e 17 foram graduadas.

O Jiu-Jítsu brasileiro ou BJJ (do inglês, Brazilian Jiu-Jítsu) é uma modalidade marcial, desenvolvida pela família Gracie, no início do século XX, que se tornou a forma mais difundida e praticada do "Jiu-Jítsu" (exceto o Judô) no mundo, principalmente depois das primeiras edições dos torneios de Artes marciais mistas (MMA).

Fotos: Andrielen Cunha

Informações: 4.ª Companhia do 9.º Batalhão de Polícia Militar

Continuar lendo