Logotipo

5.ª Expobento reúne trabalhos sobre bioeconomia

08 de outubro de 2019

Estudantes do Bento Rocha mostraram o desenvolvimento sustentável em todas as pesquisas

Compartilhe

Sessenta trabalhos foram apresentados na 5.ª Expobento, Exposição do Colégio Estadual Bento Munhoz da Rocha Neto, localizado na Serraria do Rocha. A atividade movimentou o estabelecimento de ensino na sexta-feira, 4, envolvendo  a comunidade escolar em torno do tema “Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”.

Os trabalhos foram avaliados por acadêmicos do curso de Ciências da UFPR Litoral: Luana Rauber, Sara Oliveira e Beatriz Mendes. Todos os estudantes do Ensino Fundamental e Médio elaboraram pesquisas dentro do tema proposto, ou seja, abordando a economia sustentável com a utilização de recursos biológicos (seres vivos).

Os trabalhos foram avaliados por acadêmicos do curso de Ciências da UFPR Litoral

 

O 9.º ano, por exemplo, mostrou a questão do desmatamento da Amazônia.

“Nós estamos apresentando os impactos ambientais causados na Amazônia nos últimos 10 anos e comparamos os recursos naturais exterminados no mesmo período”, explicou a estudante Leticia Vitória.

O objetivo do trabalho é  sensibilizar a comunidade escolar sobre os impactos causados na Amazônia, mostrando que estão afetando toda a biosfera.

Um dos trabalhos que também chamou atenção foi elaborado pela estudante Maressa Barboza, do 9.º ano. Ela fez um projeto sobre a energia geotérmica.

“É um tipo de energia renovável obtida através do calor proveniente do interior da Terra. Por ser um recurso natural renovável produz baixo impacto ambiental, sendo aproveitada atualmente para muitas finalidades”, explicou.

As estudantes Laura Vitória, Eduarda das Almas e Eduarda Bezerra mostraram a importância do tratamento da água em Paranaguá. A equipe fez pesquisa do controle de água dos rios e mostrou a importância do tratamento de água para o consumo humano. Objetivo é reduzir o impacto ambiental em suas atividades.

Uma das atividades que chamou a atenção dos jovens envolveu a questão da sexualidade. O trabalho passou a mensagem de que a gravidez na adolescência causa consequências para a saúde da menina que não está preparada para gerar uma vida. O grupo passou o alerta de que a gravidez precoce causa conflito interior devido à incapacidade financeira pelas dificuldades de educar.

Outro projeto que aguçou a curiosidade está em atividade no próprio colégio. Trata-se do ‘Reuso da água do bebedouro’ que foi explicado por pelos estudantes Nayume Olleros, Otávio Henrique e Vinicius Vieira. Eles mostraram como foi feito o reaproveitamento da água em 20 dias, sendo recolhidos 330 litros (sobras do bebedouro) que hoje é usado para limpeza do ambiente escolar, na irrigação do Jardim e da horta.

“Era uma água que seria descartada, mas com esse projeto ela está sendo reutilizada”, reforçou a aluna Ayume.

A Expobento contou ainda com estande do Laboratório de Ecologia da UFPR (Centro de Estudos do Mar). Os acadêmicos mostraram o projeto de monitoramento das praias, apresentando os resíduos sólidos encontrados em animais marinhos e restos de materiais de pesca que foram perdidos no mar. No estande também estavam expostos alguns animais como a tartaruga verde e a tartaruga-de-pente.

 Diretor do Colégio Everton Vieira e a professora de Ciências  Michelle Mendes

 


Colunistas