Connect with us

Turismo

Fórum Paranaense de Turismo Religioso termina hoje

Neste ano, Paranaguá sediaria o evento, mas devido à pandemia, ele acontece de forma virtual (Foto: Arquivo AEN)

Publicado

em

Começou na quinta-feira, 13, e estende-se até hoje, sexta-feira, 14, a terceira edição do Fórum Paranaense de Turismo Religioso 2020. Seguindo o atual formato dos demais eventos com participação da população, o Fórum, que atrai centenas de paranaenses, anualmente, acontece de forma virtual.

Segmento é um dos mais fortes do turismo do Paraná. O encontro virtual conta com a participação do vice-governador Darci Piana, do secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes; do presidente da Paraná Turismo, Jacob Mehl; de representantes de destinos turísticos, de empresas e da população em geral. Nos dois dias, as atividades são realizadas das 9 às 11 horas, a partir de lives (vídeos ao vivo).

O evento é realizado por meio de uma plataforma on-line e transmitido pelo YouTube através dos links:

Sexta-feira  – https://www.youtube.com/watch?v=i9y_pAbArvs

Propostas 

O Fórum Paranaense de Turismo Religioso tem como proposta contribuir para a qualificação do setor religioso no Estado, aumentar o fluxo de visitantes e melhorar a economia regional. Neste ano, Paranaguá sediaria o evento. Devido à pandemia, os organizadores optaram pelo não cancelamento e a adaptação da programação com as ferramentas disponíveis na Internet.

Além de evento técnico da área do turismo, o Fórum é uma oportunidade de reflexão sobre o momento atual, já que o turismo religioso, assim como as demais modalidades, está praticamente parado, fazendo com que romeiros e excursionistas em geral deixem de visitar atrativos ligados à religiosidade. O cenário imposto pela pandemia faz com a espiritualidade tenha que ser praticada de formas diferentes.

Suporte 

O secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, participou da abertura do evento, que se tornou uma importante ferramenta para preparar os organismos do setor, dar suporte referente à espiritualidade e auxiliar as comunidades de uma forma geral. “O turismo religioso é um segmento muito importante para fortalecer a fé das pessoas e como fonte de renda para os municípios que abrigam esses atrativos”, diz o secretário. “Essas localidades estão entre os destinos mais escolhidos por turistas que buscam experiências ligadas à fé e esperança. Além disso, o turismo religioso colabora no desenvolvimento socioeconômico sustentável do Paraná com toda a sua riqueza cultural”.

Para Jacob Mehl, presidente da Paraná Turismo, o Fórum é uma importante oportunidade de incrementar, incentivar e organizar o turismo religioso no Estado. “São representantes de cinco Estados brasileiros, aproximadamente 150 estudiosos e milhares de devotos acompanhando. A religiosidade faz parte da vida de quase todas as pessoas e posso afirmar que temos o maior interesse no sucesso desse evento, por que ele é a síntese do segmento do turismo que mais cresce no mundo”, resumiu.

Evento 

Ao realizar o Fórum de forma virtual, os organizadores apostam em um número maior de participantes que o registrado nas edições anteriores. Segundo o gerente de turismo do Serviço Social do Comércio (Sesc-Paraná) e representante da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR), Giovanni Bagatini, a ideia foi não deixar a data passar em branco.

“Com o evento on-line, conseguimos atingir um número maior de participantes do mundo todo que têm interesse em conhecer o turismo religioso do Paraná”, disse. “Nós, seres humanos, precisamos de um propósito para seguirmos em frente e a fé traz esse suporte. É muito comum usar as religiões para a busca pela paz, a compaixão e a cooperação, que são muito importantes nesse momento difícil”, acrescenta.

Para o coordenador do Grupo de Trabalho (GT) do Turismo Religioso, que coordena o evento, Eliseu Rocha, a reflexão que pode ser feita entre a religiosidade e o momento atual é que há uma desconstrução em andamento do ser humano.  “O que aconteceu com todos nós nesse momento de pandemia é que fomos ‘desinstalados’, ou seja, aquilo que estávamos habituados a fazer no automático foi desconstruído”.

Nesse ponto é que entra a relação com o turismo religioso, segundo Rocha. “Olhando para dentro da gente, é isso que a religiosidade e a fé vão trazer. Eu acredito que o turismo religioso vai propiciar um ganho de saúde mental para as pessoas nas atuais circunstâncias em que vivemos. É primordial trabalharmos esse equilíbrio, porque muitos não terão condições de encontrar essa luz sozinhos”.

Segmento representa 24,6% do volume de visitantes

No Paraná, o turismo religioso vem crescendo, principalmente, pela grande religiosidade do paranaense, identificada a partir que quatro matrizes de tradições religiosas: oriental, indígena, africana e ocidental. A ecleticidade cultural faz com que o segmento seja bastante representativo no Estado. Segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Ministério do Turismo e Sebrae, está à frente de todos os demais segmentos, com 24,6%.

Além disso, é o terceiro em número de atrativos distribuídos em quase todo o território paranaense. As rotas abrangem diversos municípios e regiões turísticas, entre elas a Rota do Rosário, na Região Turística Norte Pioneiro, e a Rota da Fé, na Região Turística Ecoaventuras, Histórias e Sabores. Esses fatores fazem com que o turismo religioso, aliado ao turismo cultural, seja o segundo segmento com mais roteiros no Estado (28%), atrás apenas do Ecoturismo e Turismo de Aventura.

Fonte: AEN