conecte-se conosco

Segurança

Presidente do Conseg de Pontal do Paraná fala sobre as demandas do município

Entre elas está a falta de efetivo policial e a ausência de políticas públicas

Publicado

em

A segurança pública é dever do Estado, mas também é direito e responsabilidade de todos. Os Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs) atuam para fazer essa ponte entre as necessidades da população e os órgãos de segurança. O presidente do Conseg de Pontal do Paraná, Roberto Stelmacki Junior, falou sobre essas demandas no município litorâneo e sobre a intenção de criar um conselho regional que englobe as sete cidades da região.

“Estamos trabalhando isso junto a Coordenação Estadual dos Consegs, o CECONSEG. O maior problema enfrentado pela segurança pública em Pontal do Paraná, no litoral paranaense, no Paraná e no Brasil é efetivo. Há um número menor de policiais para o atendimento das demandas. Nos municípios do litoral facilmente se verifica o aumento do consumo e tráfico de drogas, consequentemente, da marginalidade e da criminalidade decorrentes desse fenômeno, por exemplo, aumento de furtos e roubos”, disse Roberto.

Segundo ele, como em vários locais no País, Pontal do Paraná tem um sério problema para geração de empregos e renda. O que contribui para que as famílias e, especialmente os jovens, fiquem mais expostos à criminalidade.

“Hoje, quem trabalha com segurança pública sabe, além do efetivo policial que certamente demandamos, precisamos de políticas públicas voltadas para a geração de emprego e renda. Precisamos melhorar o trabalho nas escolas, bem como incrementar a formação profissional. Infelizmente, temos boa parte da população com uma péssima formação escolar, bem como desqualificada profissionalmente. Esses fatores contribuem para a marginalização social”, observou Roberto.

Melhorias para o município

O Conseg em Pontal do Paraná procura passar os anseios da população para as forças policiais, com o objetivo de atender as demandas de todos os balneários. Através desse trabalho, de acordo com Roberto, já foram notadas algumas melhorias. “Graças ao prestígio que contamos, bem como com as ligações que temos com autoridades do primeiro escalão no Governo do Estado, no Executivo e no Legislativo, temos conseguido melhorias significativas, dentre elas, a eliminação da manutenção de presos na carceragem da Delegacia de Ipanema, bem como, até mesmo doação de viaturas e outros equipamentos”, frisou o presidente do Conseg.

Conseg ouve as necessidades da população e busca soluções junto aos órgãos de segurança

Recentemente, também foi possível aumentar a turma de formação de soldados da Polícia Militar, de 70 para 100 vagas, para a região do litoral do Paraná. “Esse foi o compromisso assumido pelo Governo e pelo Comando da PM. Nossas necessidades são muitas, os recursos nem tanto. Logo, incentivamos sobremaneira o uso do Serviço de Inteligência Policial”, disse Roberto.

Também há um trabalho voltado para a estrutura do monitoramento eletrônico com câmeras e o uso de tecnologias mais modernas. “No final de 2021 conseguimos implementar um Centro de Monitoramento de última geração na base da GCM – Guarda Civil Municipal, bem como, neste mesmo período, a mesma foi devidamente capacitada para a utilização de armamento letal. Estamos trabalhando para interligar essa ferramenta ao Sistema de Monitoramento do Estado (Sesp)”, contou Roberto.

Para concluir, ele destacou a parceria com os órgãos de segurança, assim como com a população de Pontal do Paraná. “Contamos com o respeito da comunidade, temos nossa importância estratégica reconhecida pelo Ministério Público e pelo Judiciário. Somos grandes parceiros das forças policiais. Todos juntos trabalhamos para a construção de uma sociedade mais segura, mais justa e com qualidade de vida”, finalizou Roberto.