conecte-se conosco

Segurança

Instituição alerta contra fraudes digitais

O objetivo é proteger os usuários contra as fraudes mais comuns e consolidar uma cultura de segurança digital

Publicado

em

A tecnologia sem dúvida é uma grande aliada nos dias atuais e facilita a vida de muita gente, mas todo o cuidado é pouco com os golpes digitais.

O Banco Central (BC) vem constantemente orientando os usuários sobre os cuidados que devem ser tomados com os golpes, agora através do PIX.

O PIX é um meio de pagamento eletrônico do Brasil lançado oficialmente em outubro de 2020. O crime relacionado ao PIX funciona quando algum golpista consegue invadir a conta do WhatsApp (seja por algum link que o usuário entrou ou algum dado pessoal que foi disponibilizado por alguma mensagem ou ligação) e manda mensagem para seus contatos pedindo alguma transferência via PIX.

O BC explica que se você foi vítima de um golpe, registre uma ocorrência na Polícia, que é responsável por investigar crimes. O Ministério Público pode instaurar eventuais ações penais. Informe os dados do comprovante da transação: ID da transação, Valor, Data/hora da liquidação, descrição (caso preenchida), Nome da instituição do recebedor, Nome do recebedor, CPF ou CNPJ. Registre também uma reclamação no banco no qual o golpista tem conta.

O CPF do titular da conta não é exibido por completo, mas apenas alguns números, uma vez que as instituições participantes do Pix não são obrigadas a exibir todos os dados.

Se a transferência foi feita via chave Pix, informe também a chave que foi utilizada. Com esses dados, o Banco pode impedir a realização de novos golpes. Se você fez a transação pelo Pix, informe o fato também para a sua instituição, pois ela poderá efetuar uma marcação da chave Pix de destino do dinheiro, bem como a conta e o usuário recebedor, o que contribui para evitar novos casos de golpes, reduzindo o risco para todos os usuários.

A partir de 16 de novembro de 2021, com a vigência do Mecanismo Especial de Devolução, a sua instituição poderá pela própria infraestrutura do Pix adotar procedimentos para o bloqueio desses recursos, facilitando a devolução, caso fique comprovada a fraude.

Fique atento às principais modalidades de golpe no mercado e tome os cuidados sugeridos pelo BC.

Confira algumas das principais tentativas de golpes:

– Pedido de pagamento inicial para liberar empréstimo

O golpista diz que trabalha em um banco ou financeira e oferece empréstimo com taxa de juros muito baixa ou outra condição especial. Para ter acesso ao crédito, você tem que pagar um valor antecipado (depósitos, transferências, Pix, etc).

Atenção! Bancos e outras instituições fiscalizadas pelo Banco Central não exigem pagamentos antecipados para liberar empréstimos.

Fique atento: Nunca faça pagamento antecipado para pegar empréstimos. A atenção deve ser ainda maior se a conta para pagamento for de pessoa física.

Desconfie de ofertas muito abaixo do mercado ou que não exijam garantias, como avalistas ou fiadores. Somente contrate empréstimo, financiamento ou consórcio com uma instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central. Desconfie se a empresa não fizer consultas ao SPC e Serasa, por exemplo.

– Pedido de dinheiro por aplicativo de mensagem

O aplicativo de mensagem (whatsapp ou telegram, por exemplo) de um amigo ou familiar é clonado e o golpista envia mensagens para você pedindo que transfira ou faça PIX de um valor para conta de outra pessoa.

Fique atento: Nunca transfira dinheiro a pedido de amigos ou parentes em função dessas mensagens, principalmente para conta de outras pessoas. O ideal é telefonar antes para a pessoa para confirmar se ela realmente fez o pedido.

– SMS, e-mail ou ligação pedindo atualização cadastral

Você recebe mensagem falsa de banco ou instituição financeira pedindo para atualizar seu cadastro. A mensagem possui um link que leva para uma página falsa da instituição na internet. Nesse momento, o golpista consegue clonar sua conta e transfere valores da sua conta para conta de outras pessoas, usando Pix ou outro tipo de transferência.

Fique atento: Se receber SMS ou e-mail do banco, não clique no link, apague a mensagem e ligue para seu gerente para confirmar se precisa atualizar seus dados cadastrais.

Não realize atualizações cadastrais por telefone, e-mail ou SMS. Faça a atualização cadastral somente por meio seguro ou em atendimento presencial.

– Compras pela internet

O golpista possui loja virtual “de fachada” e oferece produtos e serviços em condições super vantajosas. Outro tipo de golpe é um falso leiloeiro que faz leilão de produtos a preços muito abaixo do mercado. Nesses casos, você faz a transferência para o falso vendedor ou leiloeiro e não recebe os produtos como prometido. Em muitos casos, os golpistas emitem boletos com códigos de barra verdadeiros, mas com informações falsas sobre a conta de destino. Ou seja, o boleto traz os dados de uma loja ou pessoa específica, mas quem vai receber o valor é o próprio golpista (o dinheiro é depositado em conta da pessoa física).

Fique atento: Desconfie de preços muito abaixo do mercado. Pesquise se a loja ou a empresa de leilão realmente existem e se trabalham de forma correta. Consulte se essas empresas possuem reclamações em sites especializados ou no consumidor.gov.br. Ao pagar o boleto, verifique, no aplicativo, site ou caixa eletrônico que você está usando, se o nome do beneficiário do pagamento é de pessoa física ou empresa para quem você quer transferir o dinheiro.

– Cartão clonado para entrega a motoboy

Você recebe ligação do golpista falando em nome de um banco que informa que seu cartão de crédito foi clonado e que o motoboy do banco vai buscar o cartão clonado em sua residência e que você deve entregá-lo junto com a senha, para que ele seja cancelado. O cartão então é usado para compras e saques sem sua autorização.

Fique atento: Nunca entregue o cartão a alguém, mesmo que ele esteja bloqueado.

Em caso de fraude ou clonagem do cartão, peça o cancelamento ao banco. Após confirmar o cancelamento, triture o cartão e jogue os restos no lixo.

– Máquina de cartão adulterada

Estabelecimento comercial utiliza máquina de cartão adulterada que rouba dados e senha de seu cartão quando você vai pagar a conta.

Fique atento: Somente insira a senha após conferir o valor, visualizar integralmente a tela e se o visor da máquina de cartão estiver funcionando perfeitamente.

– Golpista prestativo na agência

O golpista percebe que você está com alguma dificuldade no caixa eletrônico e oferece ajuda. Nesse momento, ele troca o seu cartão por um falso e decora a senha que você digitou no terminal.

Fique atento: Peça ajuda somente aos funcionários do banco, que devem estar identificados com crachá, uniforme ou avental com nome do banco.

Nunca forneça sua senha a outras pessoas, mesmo que conhecidas.

Com informações do Banco Central do Brasil