Connect with us

Segurança

Guarda Portuária completa 33 anos no Paraná

A Guarda Portuária dos Portos de Paranaguá e Antonina foi fundada em 24 de setembro de 1987

Publicado

em

Corporação paranaense é referência nacional

A Guarda Portuária dos Portos de Paranaguá e Antonina completa 33 anos na quinta-feira, 24. Com um efetivo de 99 funcionários (incluindo técnicos e agentes da Unidade Administrativa de Segurança Portuária – UASP), a corporação paranaense é referência nacional e responsável pelo policiamento ostensivo das áreas primárias e secundárias, fiscalização de cargas e controle dos acessos. 

“Temos muito orgulho da nossa Guarda. Temos nos esforçado para dar melhores condições para essa força tão importante para o funcionamento regular dos nossos portos”, destaca o diretor-presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

De acordo com ele, em um momento de profundas transformações, a Guarda Portuária tem assumido um papel de liderança, agindo como catalisador de ações estratégicas para garantir a segurança dos terminais paranaenses.

Desde 2019, a autoridade paranaense realiza seminários e operações conjuntas com diferentes forças de segurança. São ações de combate ao tráfico de drogas, “vazadas”, assaltos a caminhoneiros e adulteração de cargas.

Futuro

Para o gerente da UASP, major César Kamakawa, o papel da Guarda deve ser ainda mais estratégico nos próximos anos. “A Guarda deve atuar como uma força auxiliar no combate às mais variadas formas de crime, controlando os acessos de veículos, pessoas e mercadorias, em apoio à Polícia Federal e Receita Federal, ANVISA, Marinha do Brasil, entre outros”, aponta.

Assim, é essencial que o órgão passe por um processo contínuo de modernização. “No último ano, a Guarda passou por uma importante reestruturação. Foram adquiridas armas, munições, equipamentos e viaturas. Além disso, os guardas e agentes precisam de treinamento periódico, que está suspenso por causa da pandemia”, conta.

História

A Guarda Portuária dos Portos de Paranaguá e Antonina foi fundada em 24 de setembro de 1987. O primeiro concurso público aprovou 20 guardas, entre eles, o atual coordenador de Segurança e Patrulha, Ivan Plantes Machado.

“Eu tenho muito orgulho de fazer parte dessa história. Hoje o porto é referência nacional e internacional, com milhares de acessos diários.  Mesmo com este tamanho, temos um índice de criminalidade muito baixo e isso se deve ao trabalho da Guarda”, avalia.

Nascido no mesmo ano da criação da Guarda, o agente de segurança Thiago Matozo, conta que fazer parte do grupo é uma honra.  “O trabalho da Guarda é reconhecido em todo País, graças aos esforços do time. É uma corporação que tem muita história e hoje é também minha família”, disse.  

Fonte: Portos do Paraná