Connect with us

Portos do Paraná

Porto de Paranaguá faz o maior embarque de ônibus de sua história

Veículos de transporte coletivo serão levados para os portos de Boma, no Congo, e Luanda, em Angola (Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná)

Publicado

em

Porto de Paranaguá faz o maior embarque de ônibus de sua história

São 155 ônibus em uma única operação

O maior embarque de ônibus da história do Porto de Paranaguá aconteceu na sexta-feira, 13. Em um único lote, o navio Maestro Universe carregou 155 unidades. Os veículos de transporte coletivo serão levados para os portos de Boma, no Congo, e Luanda, em Angola. A previsão é que zarpe para a África no início da tarde. A viagem deve durar entre 10 e 13 dias até os destinos.

“Esses grandes embarques têm muita representatividade para os Portos do Paraná. Sermos escolhidos por um grande fabricante nacional para o embarque dos seus produtos indica o alto grau de eficiência da gestão portuária”, afirma o diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior.

Ele destaca que o Porto de Paranaguá possui uma estrutura física que possibilita o recebimento e posicionamento de grandes quantidades desses veículos, dentro da área alfandegada. “Com toda segurança, permitindo ainda uma operação mais ágil”, diz.

Segundo Teixeira, esses seriam os principais atrativos do Porto de Paranaguá para grandes embarques dos ônibus. “Oferecemos, também, aos usuários uma infraestrutura marítima segura, com manutenções permanentes dos canais de acesso, dos berços e regras claras de programação, atracação e operação”, completa Teixeira.

Esse é o segundo de um lote de exportação fechado pela empresa Marcopolo com países do continente africano. No primeiro, realizado no mês de outubro, foram embarcados 110 ônibus que também foram levados para o porto de Boma, na República Democrática do Congo.

Segundo Gilberto Lima, diretor da Wasa Projects e Logistics, empresa responsável pelo projeto de embarques dos ônibus para a África ocidental e pela vinda dos navios Ro-ro ao Porto de Paranaguá, a confiança no operador portuário e no porto paranaense foram determinantes para que a operação fosse no terminal paranaense.

“Paranaguá é um porto central. Além disso, o custo, disparadamente, é o melhor de todos. Então, posso dizer que a praticidade do porto, a localização e preço contribuíram 100% para desenvolver esse projeto aqui”, afirma Lima.

Ainda segundo o diretor da empresa, o navio Maestro deve ficar na linha (Paranaguá – África) pelo menos até meados de 2021. A previsão, portanto, é de novos embarques em portos brasileiros, principalmente Paranaguá.

Fonte: AEN – Portos do Paraná

Leia também: Conselho de Administração reconduz Luiz Fernando Garcia como diretor-presidente da Portos do Paraná