conecte-se conosco

Portos do Paraná

Porto de Paranaguá embarca peça de autoclave com 15 metros de comprimento

Operação exigiu grande cuidado no planejamento

Publicado

em

Após dias de operação, a carga foi acondicionada em uma barcaça e agora seguirá até o porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro / Fotos: Claudio Neves/Portos do Paraná

A Portos do Paraná embarcou uma peça de 15 metros de comprimento para transporte em navio no Porto de Paranaguá na quarta-feira, 22. É a maior parte indivisível de uma autoclave: são 15 metros de comprimento, 7 metros de largura e 5 metros de altura e pesa 108 toneladas. Ela saiu da cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul, em um caminhão acoplado a uma plataforma com 14 eixos, tracionado por cavalos mecânicos.

Segundo o diretor de operações da Portos do Paraná, Gabriel Vieira, esta não é a primeira operação do tipo realizada no Porto de Paranaguá e exigiu um grande cuidado no processo de planejamento. 

“A operação de embarque deste grande equipamento já vem sendo planejado há meses e envolveu tanto as equipes de operações e de guarda portuária, agência marítima, polícia rodoviária federal e autoridades municipais”, explica Vieira.

A carga em questão é definida como carga projeto: material que possui medidas, dimensões e peso fora dos padrões para o embarque em contêineres convencionais.  

“É muito gratificante poder operar uma carga desse porte, isso sinaliza a confiança dos operadores e dos clientes no porto de Paranaguá. Além disso, destaca a nossa capacidade de operar não só granéis ou contêineres, mas também cargas projeto, que é um segmento importante para a nossa operação portuária”, destaca Vieira.

A operação de embarque do equipamento foi planejada há meses / Fotos: Claudio Neves/Portos do Paraná

De acordo com o gerente de fiscalização de operações portuárias, Fernando Pinheiro Dias, foram necessários alguns preparativos no local de movimentação para a barcaça, como a organização da operação de embarque (com retirada das defensas de proteção dos navios) e a integração da equipe operacional. A segunda etapa foi a atracação da balsa, a movimentação interna e embarque da carga com início da operação (que é a amarração da autoclave utilizando equipamentos para garantir fixação e segurança ao longo do trajeto). A última etapa foi de finalização da carga para envio ao destino, que aconteceu nesta quarta-feira.

“Todo o conjunto: carreta, cavalo, mecânico e a própria peça da autoclave foram embarcados em sua totalidade na barcaça, que seguirá a viagem com o rebocador até o destino final com planejamento do operador portuário e da agência marítima. As outras peças da autoclave são menores e seguiram por via terrestre até o destino final. A Portos do Paraná foi o primeiro porto a mostrar eficiência no transporte desta peça por cabotagem”, explica.

A carga seguirá por cabotagem (que é o transporte marítimo entre portos brasileiros) até o Porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro. O destino final será uma fábrica em Betim, no estado de Minas Gerais. Ela será utilizada para retirada da umidade do transformador da empresa, durante o processo de fabricação.

Fotos: Claudio Neves/Portos do Paraná

Transporte terrestre

Para receber a autoclave no Porto de Paranaguá, foi realizada uma megaoperação no início do mês. O deslocamento em segurança ao longo da cidade envolveu a guarda portuária, Copel, companhias de telefonia e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Para que a carga seguisse em segurança, foi preciso interditar vias e içar fios, além de remover pilares e vigas cravadas no canteiro central. O comboio acessou a faixa portuária pelo portão de cargas especiais, o qual armazenou a autoclave no pátio da retroárea do berço 214. Após a chegada ao Porto de Paranaguá, foram necessários mais alguns dias de operação.

Fonte: Portos do Paraná 

plugins premium WordPress