conecte-se conosco

Polícia

Táxi era usado para transportar 12 quilos de maconha

Dentro do veículo abordado pela ROTAM, no Jardim Iguaçu, os policiais encontraram 17 tabletes de maconha e certa quantia em dinheiro trocado

Publicado

em

Um táxi, com placas de Paranaguá, que estava sendo usado para transportar tabletes de maconha, foi abordado na noite de segunda-feira, 11, por volta das 22h, na região do Jardim

Iguaçu, em Paranaguá, por equipes da ROTAM – Rondas Ostensivas Tático Móvel, da Polícia Militar. No porta malas do veículo os policiais encontraram, aproximadamente, 12 quilos do entorpecente.

PASSAGEIRO

De acordo com a corporação, uma denúncia anônima repassada para policiais da ALI – Agência Local de Inteligência, indicava que um veículo prata, possivelmente um táxi, estaria trafegando pela BR-277, em direção ao litoral, e transportando grande quantidade de drogas.

Os tabletes de maconha foram encontrados no porta-malas do táxi abordado pela ROTAM, no Jardim Iguaçu

Diante da informação, equipes da ALI e da ROTAM começaram a monitorar a rodovia e suspeitaram de um Renault Sandero, cor prata, que acessou o viaduto, na região da Vila São Jorge.

Viaturas começaram um acompanhamento tático e abordaram o veículo na Rua Nei Silva, no Jardim Iguaçu.

No momento da abordagem, Christian Nunes Vítor de Oliveira, de 21 anos, morador no bairro Cidade Industrial, na capital do estado, desceu do táxi e disse que carregava uma porção de maconha no bolso da calça que estava vestindo e que no porta-malas do veículo estavam outros 17 tabletes da droga.

Os policiais revistaram o carro e apreenderam o entorpecente. Ao todo, foram recolhidos 12 quilos de maconha.

Certa quantia em dinheiro trocado também foi apreendida.

O motorista do táxi e uma mulher, que acompanhava Christian, não portavam nada de ilícito.

Christian Nunes Vítor de Oliveira recebeu voz de prisão e foi encaminhado para o plantão da Polícia Civil.

A mulher e o taxista foram ouvidos como testemunhas e liberados.

Christian Nunes Vítor de Oliveira, passageiro do táxi, disse que venderia o entorpecente apreendido, em Paranaguá

COMERCIALIZAÇÃO

Além de assumir a propriedade do entorpecente apreendido, Christian Nunes Vítor de Oliveira disse que faria a comercialização da droga em Paranaguá.