Connect with us

Polícia

Receita Federal faz a 10.ª apreensão de cocaína no Porto de Paranaguá

A cocaína estava escondida em sacos carregados com suplemento de ração animal

Publicado

em

Agentes da Receita Federal que atuam na Seção de Vigilância Aduaneira da Alfândega do Porto de Paranaguá (SAVIG), realizaram no começo da tarde de quarta-feira, 8, a 10.ª apreensão de cocaína no terminal portuário.

Os pacotes com a droga estavam escondidos dentro de sacos carregados com suplemento de ração animal. A mercadoria, embarcada em um contêiner, seria transportada para o Porto de Antuérpia, na Bélgica.

Ao todo, foram apreendidos 555 quilos do entorpecente. 

FISCALIZAÇÃO

Foram apreendidos cerca de 555 quilos da droga, que seriam embarcados para o Porto de Antuérpia, na Bélgica

A droga foi encontrada durante o trabalho de fiscalização, rastreamento e monitoramento das cargas que são movimentadas no terminal de contêineres do porto. Os agentes da SAVIG desconfiaram do material que estava sendo transportado e resolveram abrir a estrutura. Os tabletes de cocaína foram colocados dentro dos sacos usando um método bastante utilizado pelos traficantes internacionais de entorpecentes, conhecido como rip-on/rip-off, que é quando a droga é colocada, clandestinamente, junto com a mercadoria no interior do contêiner pouco antes do embarque, sem o conhecimento do dono da carga. 

10.ª APREENSÃO 

Ao todo já foram apreendidas mais de 3 toneladas da droga

Esta foi a 10.ª apreensão de cocaína realizada pela Receita Federal no Porto de Paranaguá, este ano. Ao todo, a equipe da SAVIG já apreendeu, em 2020, mais de 3 toneladas de cocaína durante as ações de fiscalização realizadas no terminal portuário. 

A última aconteceu no dia 1.º de abril, quando foram apreendidos cerca de 88 quilos da droga. A cocaína estava escondida dentro de uma caçamba de caminhão que seria embarcada para o Porto Africano de Abdijan, na Costa do Marfin.

Toda a droga apreendida é encaminhada para a sede da Polícia Federal, em Curitiba, que segue com as investigações.  Ninguém foi preso.

Com informações e fotos da RFB