Connect with us

Polícia

Contêiner carregado com bobinas de papel escondia 254 quilos de cocaína

Cocaína estava escondida dentro de um contêiner carregado com bobinas de papel. O entorpecente seria enviado para o porto espanhol de Algeciras

Publicado

em

Agentes da Alfândega da Receita Federal do Porto de Paranaguá e policiais federais realizaram na tarde de sábado, 26, durante ação conjunta de fiscalização, a 16.ª apreensão de cocaína no terminal portuário. A droga estava escondida dentro de um contêiner carregado com bobinas de papel.

A estrutura com a mercadoria seria embarcada em um navio que seguiria para o porto espanhol de Algeciras. 

Ao todo foram apreendidos 254 quilos de cocaína.

Scanner

As bolsas com a droga foram localizadas durante o trabalho rotineiro de fiscalização e monitoramento das cargas que são movimentadas no terminal de contêineres do porto. Os agentes contam com um scanner que ajuda na identificação e localização dos tabletes.

Rip-on/Rip-off

O método utilizado pelos traficantes internacionais para enviar a droga para a Europa é conhecido como rip-on/rip-off, em que as bolsas com a cocaína são colocadas clandestinamente junto com a mercadoria no interior do contêiner pouco antes do embarque, sem o conhecimento do dono da carga.

16.ª Apreensão

Esta foi a 16.ª apreensão de cocaína realizada este ano pela Receita Federal no Porto de Paranaguá. Ao todo, já foram apreendidas mais de 5.2 toneladas da droga

Esta foi a 16.ª apreensão de cocaína no terminal de contêineres do porto, este ano. Ao todo, foram apreendidas mais de 5,2 toneladas do entorpecente durante as ações de fiscalização realizadas em 2020.

A última aconteceu no dia 22 de setembro, quando foram apreendidos cerca de 605 quilos da droga. Sacos com o entorpecente foram colocados dentro de “big bags” que transportavam açúcar. A mercadoria seria enviada para o Porto de Antuérpia, na Bélgica. 

Investigação

Toda a droga apreendida é encaminhada para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, que segue com as investigações. Ninguém foi preso.

Pandemia

Mesmo durante o período de pandemia da Covid-19, o trabalho de fiscalização e monitoramento de cargas movimentadas no terminal portuário segue sendo realizado pelos agentes da Receita Federal. Todos os cuidados e medidas de proteção, indicados pela Organização Mundial de Saúde, são colocados em prática, uma vez que a atividade desenvolvida pelo órgão federal é essencial para o País.  

Com informações e fotos da RFB