conecte-se conosco

Polícia

Ação conjunta de fiscalização apreende mais de 400 quilos de camarão e duas embarcações no litoral paranaense

A Operação Decapoda coordenada pelo IBAMA e que conta com o apoio da Polícia Federal, Civil e Militar tem com objetivo coibir a pesca, comercialização, transporte e beneficiamento ilegal de camarões marinhos

Publicado

em

Uma ação conjunta coordenada pelo Núcleo de Fiscalização do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) deflagrada no litoral do Paraná, em parceria com a Delegacia da Polícia Federal e do NEPOM – Núcleo Especial de Polícia Marítima, com o apoio do Grupamento de Operações Aéreas da Polícia Civil do Paraná (GOA) e de equipes da Polícia Militar, visando coibir a pesca, comercialização, transporte e beneficiamento ilegal de camarões marinhos, resultou na apreensão de duas embarcações e de aproximadamente 440 quilos do crustáceo. 

A Operação Decapoda coordenada pelo IBAMA e que conta com o apoio da Polícia Federal, Civil e Militar tem com objetivo coibir a pesca, comercialização, transporte e beneficiamento ilegal de camarões marinhos

Durante a Operação Decapoda foram lavrados autos de infração que totalizaram mais de R$ 270 mil. 

DEFESO

Com o objetivo de proteger a espécie durante a época de reprodução, o IBAMA institui anualmente, de 1.º março a 31 de maio, o período de defeso do camarão, onde fica  proibida a pesca com tração motorizada para o sul e sudeste do Brasil.

O período de defeso do camarão vai de 1.º março a 31 de maio, ficando proibida a pesca com tração motorizada para o sul e sudeste do Brasil

A pesca ilegal acarreta grandes danos ao ecossistema estuarino, destruindo áreas com vegetação submersa de gramíneas marinhas, que constituem o berçário de criação de peixes e invertebrados podendo levar à morte grande quantidade de recursos pesqueiros juvenis, com prejuízo, inclusive, para os próprios pescadores, atingindo diretamente espécies de interesse como a corvina, tainha, peixe rei, siris, linguado e até espécies ameaçadas de extinção – como a miraguaia e os bagres.

FISCALIZAÇÃO

Além das ações de fiscalização que aconteceram em indústrias pesqueiras instaladas nos municípios litorâneos, os agentes realizaram sobrevoos nas baías e em alto mar, observando o trabalho que estava sendo realizado por tripulações de barcos pesqueiros.

Também foram realizadas vistorias em embarcações, petrechos de pesca e as cargas que estavam sendo transportadas.

As ações de fiscalização resultaram na apreensão de duas embarcações e de aproximadamente 440 quilos do crustáceo, além da elaboração de autos de infração que totalizaram mais de R$ 270 mil

A operação contou com cerca de 22 servidores federais, policiais civis e militares. 

DOAÇÃO

Todo o camarão apreendido durante as ações de fiscalização foram doados para entidades beneficentes registradas junto ao IBAMA.

Todo o camarão apreendido foi doado para entidades beneficentes registradas junto ao IBAMA

De acordo com o órgão federal, a mobilização de agentes, servidores e militares continua até o fim do período de defeso.