Connect with us

Meio Ambiente

Pinguins-de-magalhães aparecem nas praias do Paraná

Período é propício para o aparecimento de pinguins-de-magalhães nas praias do Paraná

Publicado

em

Presença dos animais deve ser comunicada aos pesquisadores

O Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) fez um alerta quanto ao surgimento de pinguins nessa época do ano nas praias do Paraná. O ideal é que a população siga algumas recomendações ao se deparar com o animal. Esteja vivo ou morto, o aparecimento de pinguins precisa ser comunicado aos pesquisadores.

Segundo informações publicadas pelo LEC em suas redes sociais, nesta época do ano o número de encalhes de animais vivos e mortos aumentam, principalmente com a chegada das frentes frias e a visita de muitas espécies migratórias. “Uma das espécies que visita a costa paranaense anualmente é o pinguim-de-magalhães, a qual se desloca pelas correntes marítimas em busca de alimento desde as colônias reprodutivas onde vivem no centro-sul da Argentina”, disse o LEC.

Entre os dias 16 e 17 de junho, a equipe do LEC atendeu seis pinguins na região

A maioria desses animais tendem a chegar debilitados, possivelmente por não terem conseguido se alimentar adequadamente durante a migração. “Os pinguins, diferentes de focas e lobos marinhos, não vêm a praia para descansar, então quando encalham é porque precisam de cuidados médico-veterinário”, explicou o LEC.

Nos dias 16 e 17 de junho a equipe de pesquisadores recebeu o acionamento para atender seis pinguins-de-magalhães que estavam encalhados vivos no litoral do Paraná. “Eles estão chegando e precisamos da ajuda de todos para que os indivíduos vivos sejam atendidos e os mortos avaliados. Caso você aviste uma tartaruga, golfinho ou ave marinha morta ou debilitada entre em contato com a nossa equipe através do telefone: 0800 642 3341”, comunicou o Lec, que realiza o monitoramento desde o município de Guaratuba até Guaraqueçaba.

Com informações do LEC – Laboratório de Ecologia e Conservação

Fotos: Divulgação/Prefeitura de Guaratuba