Connect with us

Marinha do Brasil

Comandantes de embarcações devem ter atenção à estabilidade para evitar emborcamento

Diagrama para ilustrar o centro de gravidade (G), altura metacêntrica (GM) e o metacentro (M)

Publicado

em

Comandantes de embarcações devem ter atenção à estabilidade para evitar emborcamento

Os comandantes de embarcações devem estar familiarizados com as características de estabilidade de sua embarcação e com a terminologia básica utilizada para evitar emborcamento. Cuidados básicos podem evitar o balanço excessivo que gere instabilidade. Entre as principais ações do comandante está o respeito à lotação recomendada pelo fabricante. O emborcamento de embarcações for falta da estabilidade necessária, em virtude de excesso de pessoas a bordo, está entre as causas de acidentes que registram o maior número de vítimas fatais na navegação amadora, segundo o Relatório Estatístico da Segurança do Tráfego Aquaviário (STA-2020).

Toda embarcação possuiu um centro de gravidade (G), ponto em que toda a massa da embarcação pode ser concentrada; um centro de flutuabilidade (B), está no centro de gravidade do volume de água deslocado pelo casco; e a altura metacêntrica (GM), ou seja, a distância entre o centro de gravidade de um navio e seu metacentro (M). Veja na ilustração. O Meta-centro (M) é o ponto da linha de centro de um barco através do qual todas as forças atuam quando o navio está adernado, fazendo a embarcação retornar à posição vertical. A redução da altura metacêntrica reduz a estabilidade da embarcação. É essencial a todos os Comandantes lembrar que a estabilidade não pode ser estimada, deve que ser calculada.

Além disso, antes de suspender, inspecione o casco quanto a sua estanqueidade e verifique as condições das baterias, das bombas de esgoto, das luzes de navegação, do equipamento rádio de VHF e o nível de óleo no cárter (quando aplicável). Os comandantes devem estar cientes de todos os fatores que afetam a estabilidade da embarcação.

O condutor deve estar atento, pois quaisquer modificações efetuadas podem ter afetado a estabilidade, por exemplo, quando são acrescentados apêndices ou substituídos os equipamentos por outros mais pesados. Quanto mais alto o peso é colocado maior é o efeito prejudicial que tem sobre a estabilidade do navio. A demora da embarcação em retornar a sua posição vertical após adernar por efeito das ondas do mar ou permanecer adernado (“dormindo”) é um claro indício de que sua estabilidade está muito deficiente. O retorno de um barco estável deve ser rápido.

As entidades e clubes náuticos devem oferecer cursos básicos de estabilidade para os proprietários de embarcações de Esporte e Recreio, concentrando-se em cenários práticos e relevantes. É crucial ainda para os comandantes terem conhecimento das condições meteorológicas, bem como qual é o estado do mar, de modo a determinar se sua embarcação será capaz de suportar tais condições quando navegando.

Da Assessoria da Capitania

Ilustração: Marinha do Brasil

Leia também: Marinha inicia a Operação Verão