conecte-se conosco

Infraestrutura

Governador anuncia investimento de R$ 1,3 bilhão no Novo Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá

Investimentos privados de R$ 800 milhões serão aportados em novas esteiras transportadoras

Publicado

em

Na manhã da terça-feira, 29, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior realizou cerimônia no Palácio Iguaçu, em Curitiba, onde anunciou mais de R$ 2,5 bilhões em investimentos em infraestrutura no Paraná. O litoral será beneficiado com essas benfeitorias por meio de investimentos em R$ 1,3 bilhão no Novo Corredor de Exportação (CORREX) do Porto de Paranaguá, por meio da empresa pública Portos do Paraná, bem como recursos privados de R$ 800 milhões que serão investidos em novas esteiras transportadoras. Outra benfeitoria na logística viária anunciada foi a do anteprojeto de duplicação de 12,1 KM entre Guaratuba e Garuva, bem como avanços no projeto da ponte de Guaratuba, que, em acordo com o Ministério Público do Paraná (MPPR), deverá ser apenas para veículos leves.

“Essas obras são muito importantes para o estado do Paraná. Um trabalho feito pelo secretário Sandro Alex, pela sua equipe do Departamento de Estradas e Rodagem (DER-PR), investimentos no Porto de Paranaguá, em Toledo, Campo Mourão, em grandes cidades do nosso estado. São obras estruturantes que há 30, 40 anos, se esperavam que acontecessem”, afirma o governador Ratinho Júnior.

“Um Estado como o Paraná, que é um importante produtor de alimentos e tem grandes polos industriais, precisa de grandes projetos de infraestrutura. Desde o início do Governo tiramos do papel as principais obras pendentes”, afirma o governador. “Nos organizamos para deixar um banco de projetos muito robusto para os próximos dez anos. E agora já podemos tirar alguns do papel. Com a liberação desse recurso expressivo, marcamos um dia muito importante para a logística paranaense”, ressalta Ratinho Júnior.

O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, destaca que este é o maior volume de investimentos em infraestrutura na história do Paraná de 7,5 bilhões na atual gestão estadual. “Sem nenhum tipo de processo de malversação do dinheiro público ou de conduta irregular. Hoje fizemos uma prestação de contas junto com dezenas de convênios em municípios de todas as regiões do Paraná”, salienta. 

Ratinho Júnior anunciou também duplicação da via entre Guaratuba e Garuva, bem como avanços na ponte de Guaratuba, que será apenas para veículos leves

Corredor de Exportação

A Portos do Paraná investirá R$ 1,3 bilhão na modernização do corredor de exportação, com projeto básico em fase de finalização, que possibilitará a construção de um píer em T, com quatro berços de atracação, ponte de acesso e oito torres pescantes, cada uma delas com capacidade de embarque de quatro mil toneladas/hora. 

“Nós temos que transformar o Paraná na central logística da América do Sul porque uma das preocupações das grandes empresas do mundo é a logística, que custa muito no dia a dia. E esses investimentos da iniciativa privada que estamos fechando são fruto desse planejamento para ampliar o porto mais eficiente do Brasil”, destacou o governador. Ratinho Junior afirma que, para continuidade dos investimentos e eficiência portuária no mercado internacional, o governo estadual realizará mais duas modernizações com R$ 2 bilhões em investimentos: o Moegão e o Corredor de Exportações.

“A Portos do Paraná tem um cronograma extenso de novos investimentos. Também são parte desse planejamento o novo Moegão (com o objetivo absorver a produção transportada pelo modal ferroviário), com investimento de R$ 524 milhões, e os arrendamentos de cinco áreas (PAR09, PAR32, PAR14, PAR15 e PAR03) para a iniciativa privada”, detalha o Governo do Estado.

Sandro Alex reforçou o papel fundamental do Porto e de sua ampliação, com foco nas operações nos próximos anos. “Nós estamos concluindo mais uma etapa importante para as próximas décadas. Hoje, para nós do time da infraestrutura, é um momento de prestar contas à sociedade. São projetos ousados do governo em todos os modais, principalmente na Portos do Paraná, reconhecida como a melhor gestão e que está recebendo investimentos milionários”, disse.

O diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia da Silva, salienta que as obras, junto com a Nova Ferroeste, garantem com que o foco contínuo em eficiência prossiga na empresa pública, algo seguido nos últimos anos na gestão do governador Ratinho Junior. “A eficiência é uma palavra que simboliza e representa o Porto. De nada adianta o Estado investir em rodovias, ferrovias e o Porto não corresponder. Nós não podemos ser o gargalo, temos que trabalhar em conjunto e de forma antecipada até, para que a gente estruture o Porto, e quando a ferrovia chegar mais forte e as rodovias receberem ainda mais investimentos, o Porto esteja preparado para absorver esta carga maior com eficiência e custo atrativo aos clientes, seja o importador ou exportador”, frisa.

O prefeito Marcelo Roque parabenizou a Portos do Paraná e o secretário Sandro Alex pela sua gestão, destacando sua atuação positiva em prol do Porto, de Paranaguá e do litoral. “Paranaguá cresceu muito com esta nova diretoria da Portos do Paraná por meio do diretor-presidente, Luiz Fernando, do diretor empresarial, André Pioli, e nós da Prefeitura ficamos muito felizes com tudo que aconteceu, pagando primeiro aquele dinheiro histórico que o Porto devia a Paranaguá, bem como obras importantes que foram realizadas no entorno do Porto de Paranaguá. A Nova Ferroeste será uma realidade no estado que trará novas linhas férreas, aumentando as cargas e gerando novo emprego para o nosso povo”, acrescenta.

Secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, destaca que este é o maior volume de investimentos em infraestrutura na história do Paraná de 7,5 bilhões na atual gestão estadual

Novas esteiras 

Além disso, outras benfeitorias serão as novas esteiras transportadoras nos berços 208, 209 e 211, usados na movimentação de fertilizantes, entre outros produtos importadores, aumentando a capacidade de armazenagem de adubos para cerca de  492 mil toneladas. São mais de R$ 800 milhões em melhorias dentro e fora do cais público, realizadas pelas empresas Rocha e Fertipar, com construção de novos armazéns. “Em geral, o projeto pretende criar um corredor para descarga de fertilizantes com duas novas linhas independentes. A nova estrutura possibilitará a atracação de navios com maior capacidade, como o Panamax, por exemplo”, detalha o governo do Estado.

“Em detalhes, no cais será feita a demolição das atuais correias transportadora e torre de transferência e a implantação das novas esteiras nos três berços. Cada um terá capacidade de descarregar até mil toneladas de fertilizantes, por hora. No total serão 1.192 metros lineares de esteiras transportadoras. Também será montada uma nova balança de fluxo, com a mesma capacidade; três estruturas de funis sobre trilhos, com capacidade para 60 metros cúbicos cada; e equipamentos afastadores no berço 209”, afirma a assessoria.

Segundo o governo estadual, fora da área do Porto, mais três armazéns serão construídos pela empresa Rocha, algo que adicionará uma capacidade estática de mais 192 mil toneladas, “que serão somadas às atuais 445 mil toneladas que o terminal já tem para a recepção de carga”, acrescenta. “Estes, assim como a estrutura atual da empresa, também serão interligados às correias do cais”, detalha.

“A Fertipar, por sua vez, vai construir outros quatro armazéns que somarão mais 300 mil toneladas de capacidade estática às atuais 192 mil toneladas que a empresa já tem de armazenagem. Essas novas estruturas também serão interligadas às esteiras de recepção da faixa primária. Para essas interligações dos novos armazéns, ainda na área de retaguarda do porto serão construídos mais 1.282 metros lineares de esteiras transportadoras. Toda essa expansão vai gerar 350 empregos diretos, em um período de cerca de dois anos e meio – tempo que devem durar as obras”, acrescenta o Estado, por meio da assessoria.

“A eficiência é uma palavra que simboliza e representa o Porto. De nada adianta o Estado investir em rodovias, ferrovias e o Porto não corresponder”, ressalta Luiz Fernando Garcia da Silva, diretor-presidente da Portos do Paraná

Moegão 

Um edital de licitação está em andamento do projeto conhecido como Moegão, que se trata de uma moega exclusiva para trens, recebendo investimento de R$ 524 milhões, com foco estrutural no Porto de Paranaguá. O objetivo é absorver a produção transportada pelo modal ferroviária, já se antecipando à construção da Nova Ferroeste. “A fase atual é de preparação para o certame. A previsão de início das obras é novembro deste ano, com conclusão a partir de julho de 2024”, explica a Portos do Paraná. 

“As interferências da ferrovia na cidade serão reduzidas de 16 para 5 pontos. O número de caminhões vai diminuir, tirando até 700 veículos por dia do trânsito local. As manobras também ficarão mais rápidas, operando até 180 vagões simultaneamente”, afirma Ratinho Junior, destacando que o Moegão não somente garante uma melhor eficiência logística, como também reduz o impacto viários dos trens e melhorará a qualidade de vida dos moradores de Paranaguá. 

“Para que essas cargas, que vão chegar num futuro próximo, tenham um tratamento eficiente, o porto precisa ajustar o Moegão, que dá uma condição muito melhor de recebimento ferroviário, olhando não só agora, mas o futuro. O novo corredor de exportação também. As mercadorias têm que chegar no navio com eficiência, tudo isso para que o Paraná seja visto não só como um ponto logístico muito bom, mas com custo ao importador e exportador muito barato”, afirma o diretor-presidente, Luiz Fernando Garcia.

Prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, ressalta comprometimento do governador e da Portos do Paraná com pagamento de dívidas históricas junto ao município e investimento em infraestrutura

Ponte de Guaratuba

Segundo o governador, foi assinado na cerimônia um acordo com o Ministério Público em torno da ponte de Guaratuba. “Já era um pensamento do Governo do Estado, que também é um pensamento do MPPR, algo que é mais um passo para tirarmos do papel o grande sonho paranaense que é a ponte de Guaratuba. Assinamos um acordo que este projeto da ponte, que já está sendo feito e que nós queremos colocar para licitar nos próximos dias, ele não passe caminhão com carga pesada, algo que é justamente para evitar problemas dentro da cidade de Matinhos e Guaratuba. Que possa ser realmente uma ponte para levar a logística muito mais turística para a população, mais segurança, consertando um erro histórico por anos de enrolação deste projeto que é tão importante para o desenvolvimento do litoral, com a engorda da praia de Matinhos, que é um investimento de mais de R$ 300 milhões”, afirma.

“Um dos pontos que era o tráfego pesado, onde se surgia um debate, fazia muitas vezes com que este projeto (da ponte) não andasse. Então, na nossa visão, também não há a necessidade de ter carga pesada para ter trafegando nesta futura ponte, e o Ministério Público entendeu que isso também era necessário e isso era um avanço. Talvez seja o principal ponto que atrapalhava tirar a ponte de Guaratuba do papel”, destaca Ratinho Junior.

O secretário de Infraestrutura salientou que a ponte de Guaratuba é “o último nó a ser desatado”. “Hoje aqui, além de R$ 2,5 bilhões em investimentos, tivemos um ato muito importante e simbólico: o MPPR através do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo (Gaema) e o Governo do Paraná através do governador assinam um protocolo de entendimento de um dos principais desafios da ponte que era o tráfego pesado. Juntos fizemos o acordo de que não haverá o tráfego pesado, que tenha a alternância da BR-376 para a ponte, para não prejudicar os municípios do litoral”, salienta. Sandro Alex afirma que o EIA/Rima da obra está sendo concluída. “Vamos colocar em breve o edital de licitação em construção. É uma obrigação da nossa geração desatar este último nó que é a ponte de Guaratuba”, destaca.

“O governador está bastante comprometido em construir esta ponte e vai construí-la. Eu fui um dos primeiros a dizer que acreditava nisso, hoje já tem bastante gente acreditando. Temos que aguardar a conclusão do licenciamento que a gente tem certeza de que vai acontecer neste ano para que ainda em 2022 o governador lance o edital para a contratação da empresa que vai fazer o projeto e a obra. Isso muda todo o perfil da nossa cidade e do litoral, vai trazer muito desenvolvimento e geração de emprego para toda a nossa região”, afirma o prefeito de Guaratuba, Roberto Justus.

Roberto Justus, prefeito de Guaratuba, celebrou a duplicação do trecho entre o município e Garuva e avanços na construção futura da ponte

Duplicação entre Guaratuba e Garuva

Outra benfeitoria na logística viária anunciada foi a do anteprojeto de duplicação de 12,1 KM entre Guaratuba e Garuva, com valor investido de R$ 1.052.374,43 para o anteprojeto pelo Governo do Estado. O prefeito afirma que a benfeitoria será muito importante não só ao município, como para todo o litoral do Paraná. “A gente diz que Guaratuba é uma ilha, porque o único acesso que nós teríamos seria através da rodovia de Garuva, de resto tem a praia, tem a baía e tem a balsa. Além disso, diziam que Guaratuba ficava mais em Santa Catarina do que no Paraná. Aquele acesso por Santa Catarina é muito difícil, dependendo da manutenção e da boa vontade do Estado de Santa Catarina, porque não se olhava para aquela estrada como o governador Ratinho Júnior tem olhado agora”, explica

“É importante para o turismo que é a nossa grande vocação, com melhores condições para receber turistas que venham pela BR-376, mas também é muito importante para a população em geral. Temos muitos guaratubanos que trabalham em Garuva, que precisam ir para Santa Catarina, especialmente a Joinville, para trabalho ou estudo. Uma estrada duplicada traz segurança, agilidade, integra melhor do ponto de vista logístico a nossa cidade seja com Santa Catarina, bem como São José dos Pinhais”, afirma Justus. 

“Estamos integrando o Consórcio Metropolitano de Serviços e teremos todas as condições de fazer consultas, agendamentos, exames médicos nos equipamentos de saúde de São José dos Pinhais e da Região Metropolitana. O trânsito por ali ficará mais facilitado por conta desta obra. Então, é algo que nunca ninguém imaginava, que muita gente prometeu, e assim como irá acontecer com a ponte, o governador vai fazer”, afirma o prefeito, agradecendo a atuação da atual gestão em prol de Guaratuba e do litoral.

Nova Ferroeste

Nova Ferroeste irá gerar mais de 300 mil empregos diretos e indiretos em 65 anos. “A execução da estrada de ferro com 1.304 quilômetros vai ligar Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá”, explica o Governo do Estado

Segundo Sandro Alex, todos os projetos da Nova Ferroeste estão concluídos com a entrega do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental, o EVTEA, assim como o  Estudo de Impactos Ambientais, EIA/Rima. “Estamos prontos para as audiências públicas e irmos para a Bolsa de Valores com o maior projeto ferroviário do Brasil. São mais de mil quilômetros. São projetos ousados do Governo do Estado”, destaca. “O Paraná avançou muito em obras que há 30, 40 anos, eram aguardadas”, salienta.

De acordo com o estudo da Nova Ferroeste, a obra irá gerar mais de 300 mil empregos diretos e indiretos em 65 anos. “A execução da estrada de ferro com 1.304 quilômetros vai ligar Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá. A conexão entre Cascavel e Foz do Iguaçu vai permitir a integração com o Paraguai e a Argentina, tornando o estado uma central logística da América do Sul. Atualmente está sendo realizada a análise do projeto ambiental pelo Ibama, com audiências públicas previstas para abril”, explica o governo estadual.

Com informações da AEN

Continuar lendo
Publicidade